Bom de Garfo

No centro de São Paulo, comerciante resgata sanduíche de linguiça de Bragança Paulista

Casa Califórnia oferece 18 opções do sanduba feito na chapa

A versão do sanduíche de Bragança com vinagrete é uma das mais vendidas na Casa Califórnia - Otavio Valle/NBQ

Descrição de chapéu Agora

Na rua São Bento, entre vitrines coloridas, em meio ao andar frenético dos passantes e sob os gritos ensurdecedores dos camelôs, que vendem não-sei-o-quê, está uma pequena lanchonete. Junto do macilento calçadão, apenas duas portas sanfonadas guardam décadas da história gastronômica do centro de São Paulo.
 
Em pouco mais de 10 m², seja no pequeno balcão ou nas quatro mesas engenhosamente distribuídas, clientes entram e saem de maneira orquestrada. Os comensais que frequentam a pequena Casa Califórnia vão atrás de uma iguaria única: os sanduíches feitos com a legítima linguiça de Bragança Paulista.

A Casa Califórnia resiste na rua São Bento há 95 anos. Fundada em julho de 1924, a casa começou como um armazém de secos e molhados. Foi na década de 1960 que surgiu por lá o sanduíche feito com as tradicionais linguiças de Bragança Paulista. Os sandubas da linguiça se tornaram um marco no centro da cidade, que até o começo dos anos 1980 era um lugar vivo e pulsante.

A decadência que atingiu o centro de São Paulo a partir dos anos 1990 afetou toda a vida da região. A Casa Califórnia descaracterizou-se. Acabou como uma lanchonete qualquer e de qualidade duvidosa. Até que, em 2012, o comerciante Carlos Kley e sua família compraram o estabelecimento. “Tivemos de reformar toda a casa. Colocamos tudo abaixo, pois as instalações estavam totalmente precárias”, conta Kley.
 
O conhecimento da história do local motivou a família de Carlos a reativar a tradição da linguiça típica do interior paulista. “Decidimos resgatar essa tradição, que sempre foi a marca da casa”, diz.
 
O comerciante compra a iguaria artesanal de um produtor tradicional de Bragança. Elas já vêm cortadas e embaladas no formato próprio para a preparação dos sanduíches. A Casa oferece 18 opções do sanduba. A versão clássica, com vinagrete, custa apenas R$ 11. Aliás, vinagrete sem pimentão, como Kley faz questão de frisar aos clientes. O sanduíche, feito na chapa, é bem montado, e o sabor da linguiça é inigualável. Tenra e saborosa, sobressai o gosto do lombo suíno, que é um prazer ao paladar.
 
Se durante a semana o público é majoritariamente formado por funcionários de lojas, escritórios e consumidores do comércio da região, aos sábados uma clientela totalmente diferente frequenta a casa. “Vem muita gente visitar o centro aos sábados. Pessoas que viveram ou trabalharam aqui décadas passadas e, agora, trazem os filhos ou netos para conhecer a região. Muitas dessas pessoas vêm comer o sanduíche de Bragança. Tem gente que até chora emocionado. É a memória gastronômica”, conta Kley, com brilho nos olhos.
 
Apesar das dificuldades e do descaso do poder público, não só o comerciante, mas muita gente organizada aposta na revitalização do centro paulistano. Nessa pauta estão a recuperação de prédios históricos e museus, incentivo à arte, utilização dos espaços públicos, moradia, mobilidade urbana. E, por que não, a tradição gastronômica local? Bora viver os sabores do centro!

Casa Califórnia

  • Quando Seg. a sex., das 7h às 19h; sáb., das 8h às 16h. Fecha aos dom. e feriados
  • Onde Rua São Bento, 95, Sé
  • tel. (11) 3106-4096

 
 
 

Agora

Bom de Garfo

Otavio Valle, 46, é formado pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) e pós-graduado em fotografia pelo Senac, mas a vida de jornalista o fez especialista em "botecologia", pela universidade "Bares da Vida".

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem