Biblioteca da Vivi

2020 chega com série de novidades nas livrarias, mas também com o dever de abrir nossa cabeça

Confira livros mais vendidos de 2019 e indicações para o novo ano

Biblioteca da Escola Premier na China
Biblioteca da Escola Premier na China - Xinhua/Cheong Kam Ka
São Paulo

Se a premissa budista de que proporcionar felicidade aos outros é a melhor maneira de encontrar a nossa própria alegria, então a palavra-chave para 2020 é compaixão. O que significa, ao pé da letra, “sentimento de pesar, pena e simpatia para com o sofrimento de outrem, associado ao desejo de confortá-lo, ajudá-lo etc.”

E a literatura é uma das melhores maneiras de conhecer outras pessoas, culturas e, principalmente, realidades. Por isso, na primeira coluna do ano, procuro dar dicas de novidades que pertençam a gêneros distintos.

“O Homem Sussuro” (R$ 49,90, 420 págs.), do britânico Alex North, pode não ter lá um título muito bom, mas é um suspense atual com características da nova e talentosa geração nórdica: une suspense, horror e intriga policial. Na história, um homem viúvo se muda com seu filho para um vilarejo traumatizado por assassinatos em série cometidos 20 anos atrás.

Já o romance de guerra “A Rede de Alice” (R$ 59,90, 518 págs., Verus), da americana Kate Quinn, baseia-se em uma rede de espionagem real que ocorreu na França durante a Primeira Guerra. Quem protagoniza a ficção é Eve, uma espiã recrutada durante a guerra, e Charlie, uma universitária que procura sua prima desaparecida no conflito.

Outro título assinado por uma mulher, “Longa Pétala de Mar”, da peruana Isabel Allende (R$ 49,90, 280 págs., Bertrand Brasil), também fala de conflitos reais e conta a história de uma família catalã que busca refúgio no Chile.

LIVRO TRAZ LITERATURA COMO ÚNICA SALVAÇÃO

Vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2019 na categoria romance, “O Legado de Nossa Miséria” (R$ 34,90, 240 págs., Record), do cearense Felipe Holloway, é a dica nacional desta semana.

A trama se desenrola a partir de um encontro casual entre um melancólico crítico de literatura e um escritor, no balcão de um bar. O diálogo atravessa a madrugada e aborda de tudo um pouco: artes, política, filosofia. A discussão fica cada vez mais densa e acaba expondo a personalidade dos dois, a partir da relação com a literatura.

OS MAIS VENDIDOS


Ficção

  1. “A Garota do Lago”, de Charlie Donlea (Faro)

  2. “Eleanor & Park - Slim”, de Rainbow Rowell (Novo Século)

  3. "Box - o Essencial Sherlock Holmes - 3 Vol.”, de Arthur Conan Doyle (Aeroplano)

  4. "Minha História”, de Michelle Obama (Objetiva)

  5. “Box - Edgar Allan Poe - Histórias Extraordinárias - 3 Volumes”, de Edgar Allan Poe (Pandorga)

Não ficção

  1. “Escravidão Vol. 1”, de Laurentino Gomes (Globo)

  2. “Mindset”, de Carol Dweck (Objetiva)

  3. “Mulheres que Correm com os Lobos”, de Clarissa Pinkola Estes (Rocco)

  4. "Felicidade - Modos de Usar”, de Mario Sergio Cortella (Planeta)

  5. “A Arte da Sabedoria”, de Baltasar Gracián (Faro)

Autoajuda

  1. "A Sutil Arte de Ligar o Foda-Se”, de Mark Manson (Intrínseca)

  2. “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas - Versão de Bolso”, de Dale Carnegie (Companhia Editora Nacional)

  3. “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, de Dale Carnegie (Companhia Editora Nacional)

  4. “Ansiedade”, de Augusto Cury (Saraiva)

  5. “Minutos de Sabedoria (Simples)”, de Carlos Torres Pastorino (Vozes)

Biblioteca da Vivi

Vivian Masutti, 34, é jornalista formada pela Cásper Líbero e bacharel em letras (português e francês) pela USP (Universidade de São Paulo), onde também cursou a Faculdade de Educação e obteve licenciatura plena em língua portuguesa. No Agora, é coordenadora da Primeira Página.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem