Alexandre Orrico

BBB 21: Isolamento de Lucas pode fortalecê-lo no reality

De Bambam a Babu, público já mostrou que protege participantes perseguidos

Lucas e Kerline discutem na primeira festa do BBB 21
Lucas conversa com Kerline - Reprodução/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

No sábado (30), em uma conversa na cozinha, Sarah disse para Lucas que, na opinião dela, ele "havia saído de um dos favoritos para de repente lá para baixo”.

Mas a história do BBB mostra, do primeiro ao vigésimo, que a audiência muitas vezes protege o participante que é massacrado e isolado pelos outros. Kléber Bambam, na primeiríssima edição do BBB lá em 2002, sentiu-se tão sozinho que construiu uma boneca com latas e cabo de vassoura, a famosa Maria Eugênia, para sentir que tinha alguma companhia.

Quase duas décadas depois, em 2020, Babu foi tão escanteado e perseguido que trocava ideias com uma almofada, que chamou de Wilson, como a bola de vôlei com quem o personagem de Tom Hanks dialogava no filme "O Náufrago". Kléber Bambam venceu a primeira edição. Babu retornou de nada menos que oito paredões, um recorde entre todas as edições, e terminou em quarto lugar.

Mesmo que por outros motivos, Lucas também está sendo empurrado para o isolamento, excluído pela casa e abandonado até pela assessoria (a Vpress decidiu romper o vínculo com o participante, que segundo a empresa está "desestabilizado") após os acontecimentos da festa Herança Africana, quando tretou com praticamente todos os participantes da casa. Até Tiago Leifert disse que não se lembra de "ter visto um participante se queimar tão rapidamente".

A intenção aqui não é passar pano para Lucas, que já admitiu que errou seguidamente, e sim apontar a proporcionalidade dos ataques que sofreu e vem sofrendo, principalmente por parte de Karol Conká, e como isso pode fortalecê-lo no jogo e com a audiência.

Karol disse que Lucas não merecia ser contratado como ator, que estava com demônio no corpo, que tem "bafo de ruindade" e fede. Quando Lucas disse que Deus era seu melhor amigo, Carol rebateu com deboche: "cadê seu melhor amigo para te apoiar na hora da loucura?". É bom lembrar que o erro do outro não dá, para ninguém, salvo-conduto para agredir.

Foi também Karol quem mobilizou os brothers para que deixassem Lucas comer sozinho como uma das punições pelo comportamento dele na festa. A imagem dele na mesa, isolado, rodou as redes.

Num papo importante com Projota, dá para entender que Lucas está sob intensa pressão. O rapper prometeu ajudá-lo a pagar suporte psicológico quando o programa terminar. Projota foi gigante, mas maior ainda pode ser o efeito que a conversa vai produzir no Lucas.

Com todas as pedras arremessadas, Lucas tem a oportunidade de construir um castelo. Agora é esperar para ver.

Alexandre Orrico

Foi repórter e editor da seção de tecnologia da Folha entre 2009 e 2015. Colaborador da Folha, hoje trabalha para a ICFJ (International Center for Journalists) e edita o Núcleo Jornalismo.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem