Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Cinema e Séries
Descrição de chapéu BBC News Brasil Cinema Ásia

Sites de streaming da China são acusados de censurar cenas de 'Friends'

Cenas com referências LGBT e ao sexo foram removidas

Friends terminou em 2004 após 10 temporadas, mas permaneceu muito popular em todo o mundo desde então
"Friends" terminou em 2004 após 10 temporadas, mas permaneceu muito popular em todo o mundo desde então - BBC Brasil/ Getty Images
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

BBC News Brasil

Várias plataformas de streaming da China foram acusadas de censurar cenas com conteúdo LGBTQI+ da sitcom americana "Friends". A série foi relançada na China no início desta semana nas plataformas Tencent, Bilibili, Sohu, iQiyi e Youku do Alibaba.

Mas os fãs chineses reclamaram que alguns trechos foram deletados, incluindo uma cena em que os personagens fazem referência a uma personagem lésbica, além de um outra imagem com um beijo entre dois homens.

Não está claro por que as cenas foram removidas e nenhuma das plataformas respondeu publicamente às acusações.

A série, que durou de 1994 a 2004, é baseada na cidade de Nova York e gira em torno de um grupo de amigos interpretados por Jennifer Aniston, Courteney Cox, Lisa Kudrow, Matt Le Blanc, Matthew Perry e David Schwimmer.

"Friends" tem muitos fãs na China e uma geração de chineses credita ao programa seu aprendizado de inglês e a introdução da cultura dos Estados Unidos no país asiático.

A plataforma Sohu detinha os direitos de transmissão de "Friends" na China até 2018, e exibia episódios completos e sem censura na época.

Na semana passada, porém, os fãs chineses compartilharam consternação nas mídias sociais sobre o relançamento e as omissões. Um diálogo sobre a ex-esposa do personagem Ross, que o deixou depois que percebeu que era lésbica, teria sido removido.

Legendas incorretas também foram usadas para minimizar referências sexuais, relata o jornal South China Morning Post. Em uma cena, a expressão "orgasmos múltiplos" foi substituída pela frase "as mulheres fofocam sem parar", aponta a publicação.

"Isso não apenas ignora o desejo e o prazer sexual das mulheres, mas também reforça o estereótipo de gênero das mulheres", escreveu um usuário no site de mídia social Weibo, segundo a CNN.

"Se você não pode mostrar a versão completa (da série) na atmosfera atual, não a importe (para a China)", escreveu outro fã. Vários usuários pediram um boicote a essa versão do programa, em protesto às mudanças.

A hashtag #FriendsCensored se tornou um termo popular no Weibo nos últimos dias. Mas, neste domingo (13), as pesquisas pela hashtag e outras variações produziram resultados nulos ou limitados, indicando que a discussão pode ter chamado a atenção dos censores chineses.

Nos últimos anos, a China fechou dezenas de milhares de sites e contas de redes sociais com conteúdo considerado "vulgar" e pornográfico, além de outros materiais classificados pelo governo como ilegais ou anti-chineses.

Cenas com Lady Gaga, Justin Bieber e a banda de K-Pop BTS também foram cortadas de um especial de "Friends" que foi ao ar no ano passado. O episódio era uma reunião dos personagens.

Não está claro por que os músicos foram removidos da versão final, mas todos os três já foram acusados ​​​​de insultar a China. Lady Gaga, por exemplo, foi proibida de fazer turnês no país após se encontrar com o Dalai Lama em 2016.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Mais lidas