Cinema e Séries
Descrição de chapéu Cinema

Série 'Resident Evil' na Netflix terá Lance Reddick como Albert Wesker

Ator coleciona participações na série "Law & Order" e nos filmes John Wick

Ator Lance Reddick durante o painel da série “Fringe” na Comic Con de San Diego (EUA), em 2010
Ator Lance Reddick durante o painel da série “Fringe” na Comic Con de San Diego (EUA), em 2010 - Divulgação/24.jul.2010/Gage Skidmore
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A Netflix escalou o ator norte-americano Lance Reddick para interpretar Albert Wesker na série live-action “Resident Evil”. O ator é famoso por ter interpretado a personagem Charon na série de filmes “John Wick”, além de participações em séries como “Law & Order” e “Oz”, e ser a voz do General Lunaris no desenho “Ducktales (2019)”.

Também participarão da série Ella Balinska, Tamara Smart, Siena Agudong, Adeline Rudolph e Paola Nuñez. Os papéis que as atrizes irão interpretar não foram divulgados.

A adaptação, que terá oito episódios, focará as irmãs Jade e Billie Wesker. Haverá duas linhas diferentes de narrativa que vão separar as histórias. “Resident Evil” deve estrear na plataforma ainda em 2021.

De acordo com a Netflix, na primeira leva de episódios, as irmãs de 14 anos Jade e Billie Wesker se mudam para New Raccoon City no auge da adolescência. Na segunda linha cronológica, já adultas, descobrem que o pai delas pode esconder segredos sombrios capazes de destruir o mundo.

Além disso, a Terra terá seis bilhões de monstros e de infectados por um vírus. Segredos do passado também virão à tona. O responsável por levar ao ar a série será Andrew Nabb ("Supernatural").

Já era uma vontade antiga poder adaptar Resident Evil para filme com personagens. Nos cinemas, a saga ganhou adaptação. O último deles, “Resident Evil 6: O Capítulo Final”, foi lançado em 2017.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem