Cinema e Séries
Descrição de chapéu Cinema

Natália Lage diz que temos que aprender com atores pornôs: 'Temos muitos tabus'

Atriz fala sobre novos episódios de série da HBO sobre produtora de filmes eróticos

Natália Lage em cena da série 'Hard'

Natália Lage em cena da série 'Hard' Divulgação/HBO

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Imagine a situação: o seu marido morre repentinamente e você descobre que ele tinha uma vida paralela, da qual você nunca tinha ouvido falar. É o que acontece com Sofia em "Hard", da HBO. A série, que estreou em 2020, estreia uma nova leva de episódios a partir deste domingo (21).

Apesar de a situação ser bastante dramática, ela é contada de forma leve. Sofia, que é uma dona de casa bem dondoca, acaba herdando nada menos que uma produtora de filmes pornôs. Se nos primeiros episódios ela ainda não sabia lidar com a situação, agora ela começa a tirar de letra o novo desafio.

"Sofia está tomando posse dela mesma", adianta a intérprete da personagem, Natália Lage, 42. "Ela ficou um tempão brigando com essa questão de assumir essa produtora e tudo o que ela envolve, mas neste momento ela já está um pouco mais assentada e, inclusive, gostando desse lugar."

A personagem se descobre uma profissional criativa e cheia de recursos. "Quando os negócios começam a dar errado, ela passa a procurar clientes, chama as amigas, dá ideias para deixar o negócio mais apimentado", diz. "Ela não quer só cumprir, ela quer inventar moda, quer propor um novo tipo de pornô."

"É uma indústria toda criada em cima do ideal masculino", lembra a atriz. "Desde que o mundo é mundo, aprendemos que a mulher é o objeto que dá prazer ao homem, que o prazer da mulher não era importante assim. Hoje em dia você está começando a ver essas vozes dissonantes, há mulheres repensando o lugar da mulher na sociedade, e isso se estendeu para o campo da pornografia."

Já no plano amoroso, a vida de Sofia está um pouco mais bagunçada. Nos primeiros episódios, ela se encantava com o astro de filmes adultos Marcello Mastroduro (Julio Machado). Os dois engatam um romance, mas nem tudo são flores.

"Aí o buraco é um pouquinho mais embaixo", diz a atriz, em tom de brincadeira. "Por um lado, ela tem que lidar com a sociedade, com os filhos e com as amigas caretas. Por outro, tem o lado passional, os ciúmes, é um cara que transa com outras pessoas na frente dela. E não é fazendo um amorzinho. Tem algumas coisas que acabam batendo errado para ela."

Sofia até tenta respirar fundo e passar por cima disso tudo, mas sempre aparece uma nova situação para confrontá-la com a diferença entre eles. "Como construção de personagem, é muito legal que ela esteja sempre tentando sair do lugar, mas, quando parece que está tudo resolvido, alguma coisa volta atrás", comemora.

Natália Lage afirma que os novos episódios foram gravados antes da pandemia, com a primeira safra. Ela só lamenta ainda não poder fazer um lançamento presencial da série. "Estou um pouco arrasada da gente não poder se encontrar, confraternizar e brindar essa estreia", diz. "A gente [o elenco e a equipe] não pode se encontrar, e foi um trabalho que fizemos tão juntos, virou uma turma mesmo."

Ela diz que nem mesmo a nudez e as cenas mais ousadas atrapalharam no entrosamento. "A gente vive num momento em que estão vindo à tona milhões de casos de assédio e tínhamos muita preocupação", lembra. "Mas foi muito tranquilo."

"Tivemos todo o respaldo da produção, que nos deixou amparados para conversar sobre isso antes de começar a filmar", diz. "Tiveram muito cuidado para que as atrizes e os atores fossem respeitosos e respeitados nas suas limitações e naquilo que estava acordado de fazer, com vontade de fazer e se divertindo para fazer."

E, aparentemente, depois de um tempo a nudez começa a ficar mesmo muito natural. "No primeiro momento, aquilo é chocante", admite. "Mas depois todo mundo naturaliza. Depois de um tempo, você já não repara mais."

Outra preocupação era o tom dessas cenas e do humor, para não desmerecer a indústria pornográfica. A opção foi por mostrar os profissionais do modo mais honesto possível. "São pessoas normais, vão à padaria, ao mercado, têm vidas, votam no Bolsonaro —ou não", enumera. "Fazer elas de maneira natural é o mínimo de respeito e respaldo que você pode dar."

"Tem muito o que aprender com eles", afirma a atriz. "Somos ainda muito travado, temos muitos tabus. A gente é ensinado de que o corpo é pecado, de que o prazer é proibido, de que a mulher não precisa gozar. Deixa as pessoas serem mais livres", defende.

"Não digo nem em relação não só à sexualidade, mas a corpos magros, gordos, negros e brancos... O corpo da gente tem que ser a nossa casa, ele tem que ser amado e respeitado. Toda a forma de preconceito tem que ser banida da sociedade", acrescenta.

A atriz revela que procurou se informar sobre esse universo de todas as formas possíveis. "Eu quis assistir alguns filmes pornôs porque sou muito curiosa", diz. "Fui ver de tudo um pouco."

O que mais a ajudou, no entanto, foram os documentários mostrando os bastidores desses produções "O interessante era ver como essas pessoas vivem, já que eu não tenho contato nenhum com esse universo", avalia. Ela conheceu atores e atrizes pornôs, que contaram suas histórias para a equipe. Alguns, inclusive, aparecem na série.

Porém, o que Natália mais precisou trabalhar foi algo bem mais prosaico. "Tive um trabalho com a preparadora de elenco Fernanda Rocha sobre a questão familiar", diz. Na série, ela é mãe de Violeta (Nathália Falcão) e Júlio (Pedro Konop). "Não sou mãe ainda, então tinha esse outro desafio, mais essa camada."

Enquanto aguarda a terceira leva de episódios, Natália Lage se dedica a outros projetos. Em março, ela começa a gravar sua participação na novela "Um Lugar ao Sol" (Globo), que entra na faixa das 21h após o encerramento de "Amor de Mãe".

Será o retorno da atriz, que trabalha desde os quatro anos de idade, às novelas. A última foi "Pé na Jaca" (Globo, 2006). Desde então, ela participou de séries como "A Grande Família", "Tapas e Beijos" e "Sob Pressão", entre outras. Na trama, ela vai dar vida à ginecologista Gabriela. A médica vai acompanhar a gravidez da personagem de Mariana Lima, e as duas devem ter um envolvimento amoroso.

"Hard" - 2ª Temporada

  • Quando Estreia dia 21/2, às 22h30
  • Onde HBO
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem