Cinema e Séries

'The Mandalorian', série de TV sobre universo 'Star Wars', terá segunda temporada

Vítima de pirataria, série exclusiva do Disney+ ainda não chegou ao Brasil

Pedro Pascal e Gina Carano na pré-estreia de 'The Mandalorian'
Pedro Pascal e Gina Carano na pré-estreia de 'The Mandalorian' - Mario Anzuoni/Reuters
São Paulo

"The Mandalorian", série de TV ambientada no universo de "Star Wars" e que estreou na nova plataforma de streaming Disney+, terá uma segunda temporada, anunciou seu criador nesta sexta-feira (27) no Twitter. Como a plataforma ainda não chegou no Brasil, a produção ainda não pode ser vista por aqui.

Enquanto a plataforma não chega oficialmente a alguns países, a Amazon tem disponibilizado algumas das produções da Disney. Porém, o acordo entre as duas plataformas não vale para conteúdos exclusivos do Disney+, como a série "The Mandalorian". 

Por causa dessa exclusividade, a Disney+ já vem sofrido com a pirataria por causa dos fãs de "Star Wars", que aqueceram o mercado de pirataria com a estreia da série, segundo o site especializado no assunto Torrent Freak.

"A temporada 2 de #TheMandalorian chega no outono [no hemisfério norte] em 2020", escreveu em um tuíte Jon Favreau, criador da série e conhecido por ter dirigido filmes como "Homem de Ferro" e os remakes de "O Rei Leão" e "O Livro da Selva".

O anúncio coincide com o final da primeira temporada na Disney+, uma plataforma de streaming que começou a funcionar em 12 de novembro em Estados Unidos, Canadá e Holanda e que, segundo a empresa, apenas um dia depois de seu lançamento já contava com 10 milhões de assinantes.

Uma segunda temporada da série tinha sido mencionada abertamente pelo próprio Favreau, inclusive antes da estreia da primeira, mas sua confirmação e a data de estreia foram recebidas com entusiasmo pelos fãs de Guerra nas Estrelas.

Favreau acompanhou o anúncio com a imagem de uma estatueta de uma criatura do universo fictício criado por George Lucas e que aparenta ser um gamorreano, espécie à qual pertencem os seres de pele esverdeada que o vilão Jabba, líder de uma organização criminosa sediada no planeta Tatooine, usava como guardas de seu palácio em "O Império Contra-ataca" (1980). 

"The Mandalorian" segue os passos de um misterioso caçador de recompensas, interpretado pelo ator Pedro Pascal ("Game of Thrones"), que vaga pelos confins da galáxia em busca de trabalho como mercenário.

Durante a primeira temporada, o personagem estabelece um vínculo improvisado com uma criatura adorável, apelidada de "Baby Yoda" pelos fãs da série e que virou um fenômeno na internet.

O apelido se deve à semelhança com o venerado mestre Jedi que treina Luke Skywalker na trilogia original.

No entanto, "The Mandalorian" é ambientada anos depois dos fatos narrados nestes filmes, e por isso, "The Child" (o menino), como é chamado oficialmente, seria na realidade um personagem diferente.

Na semana passada, a Disney lançou em cinemas do mundo todo "Star Wars: The Rise of Skywalker", anunciado como a parte 9 e última da saga espacial, sobre a qual detém os direitos desde 2012, quando comprou a Lucasfilm. 

Apesar das críticas pouco entusiasmadas que recebeu, o fim da história iniciada em 1977 arrecadou em uma semana 572 milhões de dólares de bilheteria, anunciou a Disney nesta sexta-feira.

No dia da estreia do filme, o diretor-executivo da Disney, Bob Iger, disse à AFP que o sucesso de "The Mandalorian" é crucial para o futuro da franquia.

"Como 'Mandalorian' destaca, este é apenas o começo do que poderia ser um conjunto sem fim de histórias contadas em uma galáxia muito, muito distante", disse.

Completam o elenco da série Werner Herzog, Nick Nolte e Giancarlo Esposito ("Breaking Bad").

AFP
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem