Cinema e Séries

Inspiração para Ferdinando, Ney Lima celebra papel em 'Vai que Cola 2': 'Fiquei encantado'

Jovem ficou conhecido por mostrar rotina simples no interior da Bahia

Diego Becker, Marcus Majella e Ney Lima nos bastidores do filme "Vai que Cola - O Começo"
Diego Becker, Marcus Majella e Ney Lima nos bastidores do filme "Vai que Cola - O Começo" - Instagram/neylima
São Paulo

Em frente à sua casa simples localizada em uma comunidade rural de Serrinha, cidade baiana a 180 km de Salvador, Claudinei Lima dos Santos, 23, resolveu fazer um vídeo engraçado para publicar em suas redes sociais. Ao lado da mãe, Maria de Lourdes Santos, ele aparece tomando champanhe dentro de uma caixa d'água. 

"Estamos aqui nessa piscina maravilhosa, com mainha, tomando um belo banho", afirma. Na sequência, ele é interrompido pela mãe, que diz estar com frio.

Publicado no Instagram em novembro de 2017, o vídeo tem quase 1 milhão de visualizações e ajudou o jovem baiano, que já foi catador de lixo, a se tornar um fenômeno da internet.

Ney Lima, como é conhecido nas redes sociais, soma 2,6 milhões de seguidores no Instagram, e mais 1,7 milhão no Facebook. A forma bem-humorada como ele mostra o seu cotidiano não só arrematou muitos fãs pelo Brasil como serviu de inspiração para o ator Marcus Majella dar vida a Ferdinando no segundo filme do "Vai que Cola", baseado na série de mesmo nome do Multishow.  

De quebra, o influenciador digital também ganhou um convite para participar do longa, que estreia nos cinemas no próximo dia 12. 

Em "Vai que Cola - O Começo" é mostrado o início de toda a trama, quando não existia a pensão da dona Jô, Ferdinando não era 'concierge' e ainda morava na fictícia cidade de Murundu. 

Para Majella, esse Ferdinando do longa é diferente do que o personagem foi se tornando ao longo das seis temporadas da série. Por isso, o desafio dele como ator foi redescobrir o papel. E é aí que Ney Lima o ajudou.

"Eu já o acompanhava pelo Instagram e via como ele fica o dia inteiro mostrando a vida dele na cidade em que mora, no interior da Bahia, com a mãe, com os amigos. Ele em uma caixa d'água tomando banho como se fosse uma piscina. É maravilhoso. Falei assim: 'Cara, isso aqui é o Ferdinando em Murundu. É o Ferdinando antes de chegar no Rio de Janeiro'", relata. 

A partir daí, conta Majella, "nada mais justo" do que chamar o influenciador digital para fazer uma ponta na produção como um dos amigos de Ferdinando, lá em Murundu. Ney Lima também autorizou que o filme reproduzisse na telona alguns vídeos seus que ficaram famosos na internet. 

"Participar do filme foi uma experiência incrível, nunca esperava esse convite. Fiquei encantado, porque uma pessoa que vem assim bem de baixo, igual a mim, estar em um filme de projeção nacional foi surreal demais. Estou muito feliz", disse Ney Lima ao F5

Ele também falou que gostaria de participar de outras produções no cinema e que exerce o lado ator em seus vídeos na internet. "Faço ali um teatro, uma novela, um filme". Apesar disso, Lima afirma que se vê mais como um humorista.

"Acho que não tenho vocação para ser ator, porque para isso tem que ter muito estudo e talento. Gosto mais do universo humorístico, me intitulo comediante. Para interpretar um personagem engraçado, eu consigo, já um personagem dramático, acho que não conseguiria. Não vou dizer não, porque a gente nunca sabe, mas, enfim, se pintar eu faço, sim", comenta. 

Além de Ney Lima, o ator e humorista Diego Becker também participa do longa como outro amigo de Ferdinando em Murundu.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem