Cinema e Séries

Série mais nerd da TV, 'Big Bang Theory' chega ao fim; última temporada começa neste domingo

No Brasil, programa vencedor do Globo de Ouro passa na Warner

Cena da série "Big Bang Theory"
Cena da série "Big Bang Theory" - Folhapress
Alline Magalhães
São Paulo

“Leonard e Sheldon são cientistas brilhantes, belas mentes que entendem como o Universo funciona. Mas nada dessa genialidade os ajuda a lidar com as pessoas, especialmente mulheres.”

A rede de TV americana CBS assim apresentou, em 2007, a série “Big Bang Theory”, que se tornaria uma das mais populares dos Estados Unidos e traria definitivamente para o mundo pop os estereótipos de cientistas, gênios e nerds desajustados.

Neste ano, devido ao fim dos contratos de suas estrelas e à decisão de Jim Parsons —vencedor do Globo de Ouro por sua atuação— de não renová-lo, foi anunciado que a série chega ao fim com a nova temporada. No Brasil, a estreia está marcada para este domingo, dia 7, às 22h, no canal Warner Channel.

O elenco deu depoimentos de despedida nas redes sociais. “Me afogando em lágrimas. Nós prometemos entregar a melhor temporada até agora”, disse Kaley Cuoco, que interpreta a Penny.

O primeiro episódio traz surpresas: explora a curiosa lua de mel de Sheldon (Jim Parsons), o físico antissocial que costuma propor contratos de relacionamento, e Amy (Mayim Bialik), a neurocientista que conquistou o casamento dos seus sonhos. Conta ainda com a participação especial do astrofísico Neil deGrasse Tyson.

FÓRMULA ANTIGA

Uma década depois de sua estreia, quando o programa começou a mostrar seus personagens vestindo imitações dos de “Star Trek” e lendo quadrinhos de super-heróis, a série vem sofrendo queda de audiência e críticas por não propor novos caminhos.

Mesmo assim, entre 2017 e 2018, manteve a liderança na TV aberta dos EUA, com uma média de 18.634 milhões de telespectadores, segundo o Instituto Nielsen.

Além disso, já recebeu participações de cientistas e intelectuais de grande calibre, como o lendário físico teórico Stephen Hawking (1942-2018) e o cofundador da Microsoft Bill Gates.

O mestre em física de materiais Guilherme Sampaio, 26 anos, é fã e atesta a fórmula das piadas científicas: “Teve um episódio em que o Sheldon tentava encontrar a solução da teoria das cordas e unificá-la com a teoria da relatividade. É uma relação que realmente existe”. 

Agora
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias