Carnaval

Chico Anysio será homenageado no Carnaval de São Paulo

Acadêmicos do Tucuruvi escolheu cearense como enredo para 2020

Retrato do humorista Chico Anysio em sua residência, em São Paulo - Leonardo Wen/Folhapress
Lucas Rezende
São Paulo

A escola de samba Acadêmicos do Tucuruvi, que desfila ano que vem no grupo de acesso do Carnaval de São Paulo, decidiu homenagear o humorista Chico Anysio, morto em 2012 de falência múltipla de órgãos, em seu próximo enredo.

Intitulado "Faces de Chico, o eterno Chico. Sorrir é... e sempre será o melhor remédio", o enredo será desenvolvido pelo carnavalesco Dione Leite, que vai para o seu segundo ano na escola da Zona Norte.

Cearense de Maranguape, Chico já foi enredo de escola de samba outras duas vezes na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro: em 1984 na Caprichosos de Pilares e pelo Paraíso do Tuiuti em 2013, no Grupo de Acesso. No primeiro caso, o enredo “A visita da nobreza do riso a Chico Rei, num palco nem sempre iluminado” terminou em 6º lugar. Já na Tuiuti, o desfile “Ao mestre do riso com carinho: As caras do Brasil” terminou em 13º.

Um dos principais nomes do humor no Brasil, criador de inúmeros personagens e bordões célebres, o cearense Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho construiu uma carreira de mais de seis décadas como radialista, escritor e ator de teatro, cinema e televisão.

Após a estreia na rádio Guanabara, Chico Anysio passou pelas rádios Mayrink Veiga, Clube de Pernambuco e Clube do Brasil. Em sua segunda vez na rádio Mayrink Veiga, em 1952, criou a "Escolinha do Professor Raimundo".

Após o sucesso no rádio, foi convidado para estrear na televisão, na extinta TV Rio, onde surgiu o "Chico Anysio Show", que aproveitava o surgimento do videotape para pôr no ar diversos personagens do comediante. Ele passou também pelas emissoras Excelsior, Tupi e Record, até ser contratado pela TV Globo em 1968. Nessa época, começou a lançar discos com músicas inspiradas por seus programas e personagens.

Em 1974, Chico Anysio passou a ter um quadro regular no "Fantástico", que manteve por 17 anos, até 1991. Entre os sucessos na emissora, estão "Chico City" (1973), "Chico Total" (1981 e 1996), "Estados Anysios de Chico City" (1991) e "O Belo e as Feras" (1999). Entre 1990 e 1995, a "Escolinha do Professor Raimundo", que já tinha aparecido como quadro em humorísticos anteriores, foi apresentada como um programa próprio.

Em 1999, ela voltou como quadro do "Zorra Total", ficando no ar até 2002. O humorista também atuou em novelas, como "Feijão Maravilha" (1979), "Terra Nostra" (1999), "Sinhá Moça" (2006), "Pé na Jaca" (2006) e "Caminho das Índias" (2009), além de ter participado de outros programas da emissora.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias