Carnaval

Ludmilla diz estar triste e defende decisão de parar bloco após briga no Rio: 'Tamanha agressividade'

PM usou bombas de gás, e cantora terminou show antes do horário

Ludmilla mostra fantasiada antes do bloco Fervo da Lud, no Rio
Ludmilla mostra fantasiada antes do bloco Fervo da Lud, no Rio - Bruno Henrique/Divulgação

São Paulo

A cantora Ludmilla, 23, afirmou nesta terça-feira (5), em suas redes sociais, estar "profundamente triste" pela confusão registrada durante a passagem do seu bloco, o Fervo da Lud, no centro do Rio, e defendeu a interrupção do show diante de "tamanha agressividade ao próximo”. 

“O Carnaval é tempo de festa, alegria, união e também de doação de amor ao próximo, um momento de respiro para um povo que batalha o ano todo para alcançar seus objetivos”, afirmou ela, que disse estar  "certa de que optamos pela melhor opção, pois minha prioridade sempre será o bem-estar de todos”.

A confusão começou por volta das 12h30, com uma briga de foliões na frente do carro de som da cantora. A Polícia Militar lançou bombas de gás, mas, minutos depois, outras confusões foram registradas entre o público, fazendo Lud interromper o show. Às 12h45, foi anunciado o encerramento do bloco, previsto para seguir até as 14h. 

O desfile acontecia na avenida Primeiro de Março, uma das principais do centro, e o Fervo da Lud é um dos maiores blocos do Carnaval carioca de 2019. Segundo os organizadores, cerca de 1 milhão de pessoas acompanhavam o cortejo. “Mais amor! Mais paz!”, desejou a cantora nas redes sociais. 

Para 2020, a previsão é que o Fervo da Lud aconteça também em São Paulo e em Salvador. Ela também garante que a carreira internacional uma hora vai chegar.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem