Carnaval

Juliana Paes diz que raspou sola de sandália e que contou com anjos para não escorregar

Atriz desfilou como rainha de bateria da Grande Rio após forte chuva

Juliana Paes desfila como rainha de bateria da Grande Rio Mauro Pimentel - 3.mar.2019/AFP

Cris Veronez
Rio de Janeiro

Emocionada após desfilar como rainha de bateria da Grande Rio na Sapucaí, Juliana Paes disse que, independentemente da nota que a escola receber dos jurados, todo mundo saiu da avenida de alma lavada.

"Foi lindo. Estou muito feliz com o desfile. Acho que a gente às vezes sai da avenida com uma sensação diferente e esse ano a gente sentiu uma vibração muito especial ao fim do desfile. Sabe quando sai todo mundo pulando como se estivesse em um bloco? Mais soltos, mais relaxados. Estávamos eufóricos", disse Juliana Paes.

Poucas horas antes do início dos desfiles, o Rio de Janeiro foi tomado por uma forte chuva, que deixou a cidade em estágio de atenção. Depois, o temporal cessou. 

Para não escorregar, Juliana Paes disse que precisou raspar a sola das sandálias. "Sempre tem uns truques, né? Mas, na verdade, a gente conta com os anjos da guarda mesmo. No final das contas são eles que seguram a gente (...) Na hora, a gente não pensa em nada. É adrenalina mesmo. E você se joga. Se cair, caiu. Levanta, sacode a poeira e vai que vai."

Aos 39 anos, a atriz afirma que sempre pensa em desistir do posto de rainha de bateria, mas acaba aceitando o desafio.

"Digo que é muita loucura. Ser atriz e ser rainha de bateria realmente são coisas que não dá para conciliar. Me sinto muito angustiada porque quero estar sempre presente e nem sempre posso." Por conta das gravações da próxima novela da Globo da faixa das 21 horas, Juliana Paes não pode comparecer ao último ensaio técnico da Grande Rio. 

Além de ser rainha de bateria da Grande Rio, Juliana Paes é musa do Carnaval 2019 do Camarote Club Arpoador, que está pelo segundo ano consecutivo na Marquês de Sapucaí.

"Depois de tanto tempo de carreira e de avenida, com tantas meninas maravilhosas, ainda assim ser considerada uma musa me deixa muito lisonjeada e feliz. Fico toda prosa", disse a atriz.

Ela afirmou também que é um desafio se manter interessante e presente, para criar um lugar cativo no coração do público como musa.

"Quando você ganha esses títulos, isso é inerente ao tempo. Vão passar mais dez anos e eles vão ficar comigo, porque tem a ver com o coração, e não com estética. Isso para mim não tem preço. Isso não se compra. Se conquista."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias