Carnaval

Ellen Rocche prefere SP a Rio por escola do coração: 'Para fazer sentido, tenho que curtir'

Atriz é rainha da Rosas de Ouro, agremiação que desfila no Anhembi neste sábado (2)

Foto Ellen Rocche para entrevista carnaval

Ellen Rocche com figurino de Carnaval durante ensaio de 2019 Caio Mello/Divulgação

Sarah Mota Resende
São Paulo

Se precisar de alguém leal, cogite o nome de Ellen Rocche, 39. Ela samba na chuva, não falta a ensaios, tem o enredo na ponta da língua. Quer mais? Há 19 anos na mesma escola, a atriz até abre mão de desfilar no Rio de Janeiro —escolha de muitas celebridades que querem, mais do que ver, serem vistas—, para defender o nome da sua escola de coração, a Rosas de Ouro.

"Eu sou foliã, sou do tipo de rainha que desce do salto, se for preciso. Para fazer sentido para mim, eu tenho que realmente curtir", diz Ellen Rocche sobre a seriedade com que encara os compromissos da agremiação, dos não tão glamurosos ensaios ao grande "Dia D", na avenida.

Às vezes, vá lá, ela até dá o ar de sua graça na Sapucaí, sambódromo carioca, mas, se a agenda apertar e for preciso escolher —como neste ano, por causa das gravações da novela "Malhação", da Globo—, ela fica mesmo é com a Rosas de Ouro, escola pela qual desfila como rainha de bateira pelo 12º anos consecutivo neste sábado (2).

"Eu brinco que fui picada pelo bichinho do samba. Ele me picou e ai eu fiquei apaixonada e não consigo mais parar. É um vício", afirma a artista, que também descarta aposentadoria em breve.

Graças ao equilíbrio que mantém durante todo o ano, Ellen Rocche garante não precisar investir em procedimentos estéticos mirabolantes nem em dietas restritivas demais às vésperas dos desfiles.

"Eu procuro, durante o ano, ter uma rotina saudável, uma filosofia de vida que tem sempre alimentação saudável, e não só na época do Carnaval. E aí no Carnaval eu não preciso fazer grandes transformações no corpo, o que é muito melhor."

A única preocupação da loira de impactantes olhos azuis, afirma, é sempre com o fôlego para atravessar a avenida.

"Eu só intensifico o condicionamento físico porque estar na avenida é uma maratona. Tem que estar com fôlego, tem que sambar por mais de uma hora, tem a concentração, a apresentação para os jurados. A rainha leva o nome da escola. Ai não dá para ficar de língua de fora [de cansaço], né?", brinca, aos risos.

Quanto a fantasia que usará neste ano, quando a Rosas de Ouro homenageia a cultura da Armênia, Ellen Rocche afirma que, apesar de ser aberta e flexível "em nome da personagem", gosta mesmo é de pano tampando aqui e acolá. 

"Tem muita gente que vai pelada, né? Eu gosto de ser uma rainha vestida, fantasiada e de contar a história da escola", diz, rindo, mas também  ressaltando que sabe o que a época pede.

"Carnaval é sensualidade, né? Então é claro que precisa ter toda uma sensualidade, mas é óbvio que eu falo coisas como esconde aqui, mostra aqui, tudo depende do momento." 
 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias