Carnaval 2018

Musas e rainhas de bateria revelam quanto gastam para desfilar no Carnaval do Rio

Para as entrevistadas, folia na Sapucaí sai mais cara porque é mais 'glamorizada' 

Egili Oliveira, musa das escolas de samba São Clemente e Renascer de Jacarepaguá
Egili Oliveira, musa das escolas de samba São Clemente e Renascer de Jacarepaguá - Reprodução Instagram/egilioliveira

CRIS VERONEZ
Rio de Janeiro

Não basta ter samba no pé. É preciso ter dinheiro no bolso, ou então uma boa rede de parcerias para arcar com custos extras que as musas de Carnaval costumam ter para fazer bonito na passarela do samba.

Tratamentos estéticos, exercícios e dieta com acompanhamento profissional são alguns entre tantos outros serviços que elas utilizam.

Egili Oliveira, musa das agremiações cariocas São Clemente e da Renascer de Jacarepaguá, conta com uma equipe que inclui fisioterapeuta, personal trainer, esteticista, dentista, maquiador e estilista. A preparação dela para o Carnaval deste ano começou em outubro de 2017.

"Se eu tivesse que pagar todos esses profissionais, não gastaria menos de R$ 5.000 por mês. Quando fazemos parceria, ese custo cai consideravelmente e a gente investe mais na fantasia porque, no meu caso, por exemplo, gosto de pedras verdadeiras, glamour e beleza", diz Oliveira, que é professora de samba e atriz.

De acordo com a assessoria de imprensa de Oliveira, uma fantasia de musa custa entre R$ 10 mil e R$ 15 mil. Penas de faisão e pedraria verdadeira são os elementos que mais encarecem a peça.

Rainha de bateria da Alegria da Zona Sul e da Império Serrano, ambas no Rio também, Anny Santos diz que não investe mais do que já gastaria no dia a dia com os cuidados do corpo. “Sempre malhei e gostei de me cuidar. Meu gasto maior vai ser com a fantasia."

Morando na Europa desde os 12 anos, Santos chega ao Brasil quatro meses antes do Carnaval para acompanhar os preparativos para a folia. A empresária admite que os gastos são muitos, mas que a paixão pelo Carnaval compensa.

"Minha família não é ligada ao Carnaval. Fui criada em uma outra cultura, mas a paixão pela folia é imensa.” Segundo a assessoria, Santos gastará um pouco mais porque será rainha de bateria e musa no Grupo Especial, além de ter profissionais que já estavam trabalhando com ela e que não fazem permuta.

Desde setembro, a rainha de bateria da Unidos do Viradouro, Raíssa Machado, faz diversos tratamentos estéticos, musculação, dieta restritiva, tratamento dentário e harmonização facial --essa última custa cerca de R$ 300, a seção.

Já a academia vale R$ 600 mensais e o personal trainer cobra cerca de R$ 150 por hora. Há ainda os gastos com figurinos, maquiagem, implante de cabelo, sapatos e fantasia. Além desses tratamentos, Machado ainda coloca cílios postiços e micropigmentação de sobrancelhas. “A fantasia depende da quantidade de faisões. Nos últimos anos, usei alguns faisões e pedras 'reciclados'. Minha fantasia está calculada em torno de R$ 35 mil neste ano."

Machado faz ainda uma comparação entre o Carnaval do Rio e de São Paulo. "Como o Carnaval do Rio é mais 'glamourizado', tudo se torna mais caro." As outras musas fazem coro.

 
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem