Carnaval 2018

Conheça rainhas e musas do Carnaval de São Paulo

Desfiles começam nesta sexta (9), no Anhembi

BEATRIZ FIALHO JULIA ALVES
São Paulo

O "F5" entrevistou algumas das musas das escolas de samba de São Paulo, cujos desfiles acontecem nesta sexta (8) e neste sábado (9).

 
 
 

ANDREA CAPITULINO

Andrea Capitulino,39, é rainha de bateria da Acadêmicos do Tatuapé. A carioca estreou no Carnaval de São Paulo em 2017 e saiu campeã pela escola da Zona Leste. "Eu espero que esse ano a gente ganhe de novo, comentou", lembrando que foi pé quente no ano passado.

Embora há pouco tempo em São Paulo, a rainha comenta que procura se engajar ao máximo com as atividades promovidas pela escola. "Samba não é só música, festa e Carnaval. Ser do samba também é ajudar a comunidade", disse.

A preparação física é intensa ao longo do ano, mas não tão pesada nos meses que antecedem o desfile. Neste período ela opta por uma rotina mais leve, com menos exercícios e uma dieta balanceada. Nas últimas semanas, ela brinca, "treino deitada". Isso porque Andeia é empresária e dona de uma clínica estética cujos procedimentos são sua melhor companhia para entrar na avenida "mais sequinha".

HELENA SOARES

Rainha de Bateria da Independente, mãe, advogada e pilota de rali, a paulistana de 36 anos tem na agremiação uma "segunda família". Embora as atividades além do Carnaval a deixem sem tempo ela tenta sempre que possível participar da escola.

Sobre sua preparação física, Helena comenta que não se dedica à malhação "pesada" e só presta mais atenção no que come para não ingerir calorias desnecessárias.

Na última semana, Helena passou por problemas de saúde e foi internada na UTI, o que deve impedí-la de desfilar neste final de semana.

PAMELLA GOMES

Pamella Gomes é bailarina por formação e sobe ao palco do "Domingão do Faustão" toda semana.

Em 2018 a dançarina sai como rainha da bateria da Tom Maior, escola pela qual desfila desde os 5 anos de idade.

"É uma escola família, meus pais foram o primeiro casal de mestre sala e porta bandeira. Desde que nasci frequento os ensaios", comentou.

Ela diz que a proximidade com o ritmo foi um dos motivos que a incentivou a seguir na profissão.

Rainha mirim de bateria aos 5 anos, ela diz que o Carnaval foi o "pontapé inicial para eu me tornar bailarina".

ELAINE ABREU

Musa da Rosas de Ouro, Elaine tem aversão à academia. Mas para se preparar para o Carnaval, engole o choro: "malho nos últimos meses para ganhar fôlego".

Há 22 anos na escola, Abreu foi destaque na comissão de frente em 2016 e em 2017 e estreia como musa em 2018. "Além disso eu participo da escola o ano todo. Faço shows com a bateria, festa de formatura, casamento".

No ano passado, Elaine passou um aperto na avenida: perdeu o tapa sexo. Por sorte, ela estava com outro por baixo, o que fez do acidente um pequeno inconveniente. Este ano, ela vem com um triquíne para "evitar o estresse."

ANA BEATRIZ GODÓI 

Jornalista, Ana Beatriz Godói é madrinha da Unidos de Vila Maria. Estreando na escola este ano, ela comenta que desfila há 16 anos, mas que tinha dado um tempo da avenida. "Estava parada desde 2015 e em 2018 o vice presidente da Vila Maria me convidou, então voltei com muito carinho", disse.

Dona de casa, Godói comenta que gosta da vida caseira, mas que está sempre planejando uma festa ou outra. O mesmo acontece no Carnaval, quando se dedica integralmente ao desfile. "Eu sou completamente apaixonada pela festança, pelo espetáculo, pela música".

Sua fantasia de 2018 não será econômica: embora não dê spoilers, afirma que será pesada e terá cerca de 3800 penas naturais. O salto terá 15cm, sem contar a plataforma. A preparação para cair no samba não exige malhação: "controlo tudo na dieta", diz ela.

ALINE OLIVEIRA

Formada em educação física, Aline Oliveira, 27, é uma amante da folia e da malhação. Há 16 anos na avenida, a bailarina entra no Anhembi em 2018 como Rainha de Bateria da Mocidade Alegre, escola com a qual tem forte relação.

"Eu não nasci na quadra, mas fui criada lá. É uma coisa louca, tenho muito carinho por aquele lugar", comentou. Oliveira, que começou aos 9 anos e já tocou vários instrumentos na bateria, conta que estava quase largando o Carnaval para pegar firme nos estudos. "Isso foi em 2012, quando pensei em sair. No mesmo ano recebi o convite para ser rainha, daí não teve jeito", brincou ela.

A preparação física não é difícil para ela, que trabalha em uma academia com aulas de pilates e musculação. "Me mantenho o ano todo fazendo atividade. É quase meu sobrenome, não tenho como sair da linha."

CINTIA MELLO

Formada em modelagem, Cintia Mello vive sua maior paixão na dança. No carnaval há 30 anos, desde que estava na barriga de mamãe, Cintia começou desfilando em uma escola de samba da Zona Leste e em 2018 entra na avenida como musa da Acadêmicos do Tucuruvi.

"O Carnaval está no meu sangue, é coisa de gente maluca, tanto tempo de trabalho para passar pouquissimo tempo no desfile. O que me move é o amor e a paixão", comentou ela. A dançarina, que ganhou o concurso de musa do Caldeirão do Huck em 2013 vive do samba o ano todo, com aulas para passistas.

A preparação para o Carnaval acontece com os ensaios, três vezes por semana. "Também dou aula de samba e mantendo a rotina na academia durante toda a semana. Não tenho tempo de pensar em engordar", comentou ela.

A fantasia de 2018 será mais simples. Com o Incêndio que afetou a quadra da escola no começo de janeiro, a musa comentou que a escola está dividindo o que sobreviveu ao fogo. "Ninguém vai ficar de fora, com ou sem fantasia. Será um Carnaval da emoção, não seremos julgados, não iremos competir tecnicamente. Não vou mentir que a competição é um combustível, mas ao menos iremos para a avenida", comentou.

AMANDA DJEHDIAN

Conhecida por ter participado do BBB 15, Amanda Djehdian desfila em 2018 como musa da velha guarda da Gaviões da Fiel. Ela conta que participa da torcida organizada há 15 anos e que entrou para a escola há três. "No BBB falava que tinha o sonho de desfilar, o pessoal da Gaviões viu e recebi o convite. Eles quiseram me colocar na Velha Guarda por conta do meu histórico com a escola", disse ela.

Amanda vem a frente da última ala da escola, encerrando o desfile. A fantasia, ela diz, será mais tecnológica. "Minha fantasia será maravilhosa, com um jogo de luzes, em uma cor só, terá em torno de doze kilos por conta da iluminação. O costeiro deve ter entre 8 e 10 kilos", comentou.

A preparação envolve malhação pesada --mas a musa não abre mão de comer o que gosta. "Gosto muito de comida e não gosto de doces, então não preciso me privar ou fazer dietas malucas. Sou natural e se não comer meu pão fico louca, então como de tudo. Não adianta eu querer por na avenida alguém que não sou eu", disse.

"Tenho celulite e estria, mas acho meu corpo lindo e vou do jeito que a Amanda é, sempre fui natural, ninguém vai me ver super malhada", comentou.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem