Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Petição para tirar Amber Heard de 'Aquaman 2' bate três milhões de assinaturas

Atriz estrelou primeiro filme, lançado em 2018, no papel da princesa Mera

A atriz Amber Heard - REUTERS
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Com o avanço do julgamento de Johnny Depp, 58, contra Amber Heard, 36, uma petição online que pede que a atriz seja retirada do filme "Aquaman 2", que deve ser lançado em 2023, bateu três milhões de assinaturas, e segue crescendo rapidamente.

Os fãs de Depp estão pedindo para a DC e Warner Bros que a artista seja retirada do elenco na sequência do filme do heróis aquático. Heard estrelou o primeiro filme, em 2018, como a princesa Mera, ao lado de Jason Momoa e Nicole Kidman.

Para eles, a atriz deve ter o mesmo destino de Depp, que foi dispensado pela Disney em seu papel como o Capitão Jack Sparrow no sexto filme de "Piratas do Caribe", após Heard escrever um artigo para o Washington Post, em 2018, se descrevendo como uma "figura pública que representa abuso doméstico".

Neste domingo (1º), a atriz mudou sua equipe de relações públicas antes de depor. Depp está processando Heard em US$ 50 milhões (cerca de R$ 233 milhões), alegando que a ex-esposa o difamou no editorial. O advogado de Heard argumenta que Depp abusou da atriz física e sexualmente.

A atriz, que deve começar a depor na terça-feira (3), agora tem a consultoria Shane Communications para ajudá-la a se posicionar melhor no tribunal da opinião pública. A nova equipe de relações públicas, liderada pelo CEO David Shane, já trabalhou contra Depp antes.

O julgamento do processo que o ator Johnny Depp move contra sua ex-mulher, a atriz Amber Heard por difamação, acontece a partir desta segunda-feira (11) na Virgínia, nos EUA, e deve durar cerca de seis semanas. Além disso, todos os procedimentos serão televisionados.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem