Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Amber Heard afirma que Johnny Depp a agrediu por ciúmes de James Franco

Ela relatou vários casos de supostos abusos físicos que sofreu

Johnny Depp e Amber Heard, briga envolve acusações dos dois lados
Johnny Depp e Amber Heard, briga envolve acusações dos dois lados - Reuters/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Chris Lefkow
AFP

A atriz Amber Heard, 36, disse que seu ex-marido, Johnny Depp, 58, a agrediu em um avião após acusá-la de ter um caso com o ator James Franco, 44. A afirmação foi feita nesta quinta-feira (5) em um tribunal de Virgínia, nos Estados Unidos, durante o julgamento do processo de difamação movido contra ela por seu ex-marido.

"Eu me senti envergonhada", disse Heard ao júri que acompanha o caso do processo multimilionário. "Era a primeira vez que passava por algo assim", acrescentou, à beira das lágrimas.

A atriz relatou vários casos de supostos abusos físicos por parte do protagonista de "Piratas do Caribe", em seu segundo dia no banco das testemunhas no julgamento em curso.

Depp processa Heard por um artigo de opinião publicado no jornal Washington Post, em dezembro de 2018, no qual a atriz se descreveu como uma "figura pública que representa o abuso doméstico". Ela não mencionou Depp no artigo, mas o ator a processou por insinuar que era um abusador e pede US$ 50 milhões (cerca de R$ 251 milhões) em perdas e danos.

A atriz contra-processou, pedindo US$ 100 milhões (cerca de R$ 502 mil) alegando que sofreu "violência física e abuso desenfreados". "Ele estava bravo comigo por ter aceitado o trabalho com James Franco", contou Heard, ao relatar o incidente no avião, ocorrido em maio de 2014.

"Odiava, odiava James Franco e me acusava de ter um caso em segredo com ele no passado, desde que fizemos "Segurando as Pontas" (Pineapple Express) juntos", acrescentou, se referindo ao filme de 2008 no qual trabalhou com Franco. "Ele me chamou de puta", afirmou a atriz.

Heard disse que Depp, que havia bebido, deu um tapa em sua cara e chutou suas costas enquanto ela trocava de assento. Os membros da equipe de segurança de Depp e suas assistentes estavam no avião no momento dessa interação, contou a atriz.

"Eu caí no chão. Ninguém disse nada, ninguém fez nada. Era como se você pudesse ouvir um alfinete cair naquele avião", relembrou. "E eu lembro de me sentir muito envergonhada", acrescentou.

Depp, três vezes indicado ao Oscar, e Heard se conheceram em 2009 no set do filme "Diário de um Jornalista Bêbado" (The Rum Diary) e se casaram em fevereiro de 2015. Seu divórcio foi finalizado dois anos depois.

Durante os quatro dias que passou prestando depoimento, Depp negou as agressões físicas e garantiu que a ex-mulher era a parte violenta da relação. Heard também testemunhou sobre outras ocasiões em que Depp supostamente a agrediu, incluindo uma em que "suspeitava" que havia quebrado seu nariz.

A atriz deu detalhes sobre o uso contínuo de drogas e álcool do ator e seus esforços recorrentes para ficar sóbrio durante o relacionamento. Contou que um segurança uma vez teve que carregar Depp inconsciente em seus braços "como um bebê" até sua casa alugada em Londres.

"Lembro de pensar que tinha que ser isso. Fiquei animada ao sentir que estávamos em um novo capítulo, que Johnny finalmente tinha atingido o fundo do poço", disse.

Mas apesar de "um milhão de promessas de ficar limpo e sóbrio", da terapia de casal e dos esforços de reabilitação, ela disse que Depp sempre voltava a beber e usar maconha e cocaína.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem