Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Dalton Vigh comenta papel em 'Poliana Moça' e desafio de não se acomodar

No ar também em 'O Clone', ator compara papéis com 20 anos de diferença

O ator Dalton Vigh

Dalton Vigh Michael William

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Um deles é pai de uma adolescente, que está descobrindo os desafios e novidades do mundo. O outro é um empresário árabe apaixonado pela esposa e inconformado que ela ame outro. Os personagens Said e Otto são completamente diferentes, mas para o ator Dalton Vigh, 57, construídos da mesma forma.

Com mais de 25 anos de trabalho em novelas, o ator está no ar hoje em dose dupla, e em emissoras concorrentes. No SBT, ele é Otto na recém-lançada "Poliana Moça" (2022, SBT), que sucede o sucesso "As Aventuras de Poliana" (SBT, 2018-2020), enquanto na Globo ele vive Said na reprise de "O Clone" (2001-2002, Globo).

Vigh afirmou, em entrevista por email concedida ao F5, que essa é uma grande oportunidade de ver a evolução entre seus papéis e novelas, apesar de admitir não ter muito tempo para vê-las. Questionado sobre essas diferenças, no entanto, ele brinca que a maior delas "são os 20 anos que separam os papéis".

Além da idade, no entanto, os dois personagens tinham objetivos e problemas diferentes. "Um queria que a mulher o amasse à força e o outro queria construir um robô para substituir a filha falecida", relembra o artista, que destaca que Said, de "O Clone", acaba por se contentar com sua relação conturbada.

"[Já] o Otto busca a redenção", destaca sobre seu papel, que vem ainda com mais um estímulo. Vigh dá vida ao pai adotivo de Poliana desde a primeira fase da novela, "As Aventuras de Poliana" que teve mais de 500 capítulos, e teve sua continuação apenas em 2022, após adiamentos devido à pandemia de Covid.

Ele diz que, apesar de já ter revisitado personagens em outras tramas como as minisséries "Lara com Z" (2011) e "Cinquentinha" (2009), Otto passou por mudanças significativas, tanto na forma de agir quanto na forma de pensar. Para Vigh, interpretar o personagem seria desafiador e instigante para qualquer ator.

Além disso, ele avalia que é sempre difícil trabalhar com o mesmo personagem por muito tempo, sendo necessário ficar atento para não cair em repetições na forma de atuar. "O grande desafio de se fazer uma obra extensa é o ator não se acomodar e entrar no piloto automático", diz ele, em entrevista ao F5.

"Era um personagem amargurado e infeliz e foi através do convívio com Poliana que ele entrou em contato com os próprios sentimentos e se tornou uma pessoa bem mais afável, já no final da primeira temporada", comentou. "No caso dele não foi uma reconstrução, mas uma desconstrução", completou o artista.

A novela de Íris Abravanel abordará nessa nova etapa de Poliana temas como a Covid, empoderamento e amadurecimento. "Nessa adaptação procuramos trazer para a nossa realidade um pouco de cada coisa. É uma novela motivacional", disse a autora antes da estreia, em 21 de março. Quanto ao papel de Otto na trama, Vigh e os fãs esperam para ver.

"Poliana Moça"

  • Quando De segunda à sexta, às 20h30, com compacto da semana aos sábados
  • Onde No SBT
  • Classificação Livre
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem