Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Matheus e Kauan se dizem enganados por contratante após festa na pandemia

Cantores estavam em evento clandestino com 500 pessoas encerrado pela polícia

Matheus e Kauan
Matheus e Kauan - Instagram/matheusekauan
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A dupla Matheus e Kauan diz que foi enganada pela contratante da festa clandestina com cerca de 500 pessoas encerrada pela Polícia Civil na madrugada de domingo (11), nos Jardins, bairro nobre de São Paulo. Em comunicado, os sertanejos afirmam que tinham sido contratados para realizar uma presença VIP no aniversário de Lucyana Villar "em uma pequena confraternização para familiares e amigos".

"No ato da contratação foi afirmado pelo contratante que seriam seguidos todos os decretos que regulam concentração de pessoas, adotando protocolos de segurança e que não haveria venda de ingressos", diz a dupla em nota.

No comunicado é informado também que o departamento jurídico que assessora os artistas "adotará as medidas cabíveis ao descumprimento do contrato". Procurada, Lucyana Villar não se pronunciou até a conclusão deste texto.

No domingo (11), agentes do 78º Distrito Policial (Jardins), flagraram mais de 486 pessoas, a maioria sem máscaras, consumindo comidas e bebidas, e ouvindo música ao vivo com Matheus e Kauan em um imóvel residencial no Jardim América. Quatro pessoas identificadas como as responsáveis pelo evento foram autuadas por infringirem medida sanitária preventiva de combate à disseminação da Covid-19.

De acordo com a polícia, a socialite comemorava o seu aniversário. A Vigilância Sanitária chegou à festa após receber mais de cem denúncias que no local frequentemente se promovem eventos clandestinos com artistas famosos com garantia dada aos convidados que o lugar não seria fiscalizado. Pelo ingresso, foi cobrado até R$ 1.600.

Em nota, a SSP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) disse que nesta festa clandestina foram apreendidos ainda tickets e comandas de consumo. A responsável pelo local foi conduzida à delegacia, onde foi elaborado boletim de ocorrência e ela autuada por infração de medida sanitária preventiva.

Segundo a assessoria de Matheus e Kauan, o contrato da dupla não foi cumprido, já que a contratante realizou a venda de ingressos "sem nenhum comunicado e autorização, como também desrespeitou o acordado no que tange ao número de pessoas no local".

No comunicado, a dupla informa também que realizou exame para a detecção da Covid-19 no dia do evento e o resultado foi negativo. "Reiteramos que a dupla Matheus e Kauan jamais participaria de uma festa clandestina."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem