Celebridades

Luisa Mell confirma divórcio e diz ter sofrido violência médica

Ativista contou que médico fez lipoaspiração sem que ela autorizasse

Luisa Mell anuncia separação - Instagram/luisamell
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Luisa Mell, 42 anos, passa por momento difíceis em sua vida. Além de estar se separando do empresário Gilberto Zaborowsky, com quem ficou casada por dez anos, a apresentadora e ativista da causa animal contou ter sido vítima de violência médica em dezembro de 2020.

"Sofri uma violência médica e não consigo superar. Meu dermatologista me falou sobre um laser novo, disse: 'você não gosta de colocar nada para não ficar artificial, este é perfeito para você. Faço aqui no consultório, mas chamo um anestesista por segurança'", contou Mell ao portal "Na Telinha" nesta segunda-feira (19).

Ela aceitou realizar o procedimento e, quando acordou, descobriu que o médico tinha feito uma outra intervenção sem a sua autorização. "Ele disse: 'te dei de presente uma lipoaspiração nas axilas. Você tinha muita gordura, não dava'. Sim, ele fez uma cirurgia estética em mim sem minha autorização", disse a apresentadora.

"Me senti violentada. Fora que eu não precisava. Amava meu corpo. Me deixou com cicatrizes, deformou minhas axilas e queimou também o meu pescoço. Iniciei terapia, comecei a tomar remédio, mas mesmo assim está muito difícil", disse Mell, que, apesar de abalada com a situação, não tomou medida judicial alguma contra o médico.

"Não sei [se vou acionar a Justiça], advogado está tão caro, estou passando pela separação, tem um monte de outras coisas, essa pandemia, o meu instituto, mas eu estou tão magra, tão deprimida que não tenho condição de entrar numa cirurgia agora. Devo fazer nos próximos meses se eu melhorar. Estou meio sem forças para brigar no momento", disse ela, com voz embargada, ao contar não ter se submetido a um procedimento para corrigir as cicatrizes e queimaduras deixadas pela cirurgia.

Em meados de junho, a ativista usou as redes sociais para esclarecer a acusação de que teria roubado um cachorro. O caso levou seu nome a figurar na lista dos assuntos mais comentados da internet na ocasião.

Segundo um perfil identificado como Pietra do Agreste no Twitter, Mell teria aproveitado uma inspeção em um abrigo para roubar um cão da raça Barzoi. "A Luisa entrou na casa da família, uma mulher, um homem e um adolescente com espectro autista, e levou os cachorros da própria família", afirmou.

Ela continuou a acusação dizendo que Mell teria forjado um atestado de óbito para o animal, que, tempos depois, apareceu no perfil de um amigo da apresentadora. "Para quem não sabe, Borzoi não tem no Brasil (apenas uns 15)", disse.

Luisa também usou as redes sociais para se defender e chamou as acusações de "falsas". Ela conta que, em 2018, cumprindo uma ordem judicial, 140 cães foram apreendidos de um canil pela polícia.

"Quem determinou quais cães seriam apreendidos foram as autoridades públicas, tendo o Instituto Luisa Mell apenas cumprido determinações das autoridades policiais", afirmou. Segundo ela, isso ocorreu após denúncias de criação irregular de cães e tráfico de drogas contra a dona, identificada como Gabriela.

"A Borzoi estava há dias sozinha, em um quarto escuro e sem janela quando a polícia chegou", explicou. Ela conta que, no local, também foram encontradas "cadelas suturadas com linha de pesca, anestésicos e tesouras cirúrgicas, drogas, além de foto da Gabriela, que não é veterinária, em uma cesária".

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem