Celebridades

Juliette rebate Antônia Fontenelle: 'Não é força de expressão, é xenofobia'

Atriz e youtuber usou o termo paraíba para criticar DJ Ivis

A maquiadora e advogada Juliette Freire venceu o BBB 21
A maquiadora e advogada Juliette Freire - João Cotta-5.ma.2021/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Vencedora do BBB 21, a paraibana Juliette Freire rebateu nesta segunda (12) comentário feito por Antônia Fontenelle que usou o termo paraíba para criticar o DJ Ivis, acusado de agressão por sua ex-mulher, Pamella Holanda, 27.

"Esses paraíbas fazem um pouquinho de sucesso e acham que podem tudo", disse Fontenelle. Posteriormente, ela tentou se justificar no Instagram. "Paraíba é força de expressão, quem faz 'paraibada', como por exemplo bater em mulher. Esses machos escrotos que ganham uns trocados e acham que podem tudo", disse.

Sem citar o nome de Fontenelle, no Twitter, Juliette se manifestou sobre o assunto: " Não é força de expressão, é xenofobia. Não existe 'ser Paraíba' e 'fazer paraibada'. Existe ser PARAIBANA/O, o que sou com muito orgulho. Tire seu preconceito do caminho, que vamos passar com a nossa cultura e não vamos tolerar atitudes machistas e xenofóbicas de lugar algum...."

No Stories do Instagram, Juliette completou: “Essa não é a primeira vez que eu escuto alguém usar o termo ‘Paraíba’ de forma pejorativa. Paraíba é o estado, nós somos paraibanas. Se você quer usar um termo ruim, use agressor, criminoso."

“Procure qualquer outro, isso não é brincadeira, isso não é leve, isso machuca e reproduz um discurso de ódio e xenofóbico. ‘Ah, foi sem maldade’. Pouco importa. É sem maldade, mas machuca”, concluiu ela.

Paraibana, Elba Ramalho também se pronunciou contra a fala de Fontenelle. "Paraibada não existe, e xenofobia é crime. Paraibada não, paraibanos com muito orgulho", escreveu a cantora em seus Stories do Instagram.

Na noite de segunda (12), Fontenelle publicou um vídeo no seu canal no YouTube, em que afirma que defendeu Juliette no início do Big Brother Brasil, quando ela sofreu preconceito dentro da casa por causa do seu sotaque, e acrescentou que não esperava o vídeo da advogada sobre o assunto.

"Você foi covarde e irresponsável de me acusar de um crime tão grave como a xenofobia", disse a atriz e youtuber.

"O que eu esperava da Juliette é que que ela rechaçasse a atitude do conterrâneo paraibano dela [o DJ Ivis]. Paraibano, gente, não é paraíba, eu errei por duas letras. [Eu esperava] Que ela rechaçasse aquela barbárie que esse agressor cometeu contra a mãe dos filhos dele", completou.

Na manhã de segunda (11), Juliette já tinha se manifestado no Twitter sobre a acusação de agressão do artista. "Por nenhuma mulher a mais silenciada, a violência não deve e nem pode nos calar. Não existe justificativa. Todo o meu apoio à Pamella e repúdio às cenas e atos de horror do Dj Ivis. Violência contra mulher é crime", escreveu ela.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem