Celebridades
Descrição de chapéu Coronavírus

Paulo Gustavo é internado com Covid-19 no Rio

Quadro de saúde do ator é estável, diz assessoria

O humorista Paulo Gustavo foi internado com Covid-19 - Instagram/paulogustavo31
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O ator Paulo Gustavo, 42, foi internado no sábado (13) em um hospital privado do Rio de Janeiro, após receber diagnóstico do novo coronavírus. Segundo a assessoria de imprensa do artista, o quadro dele é estável.

"Paulo está internado por orientação médica. O ator segue em acompanhamento e agradece o carinho e apoio de todos por sua recuperação", informa em nota.

Nas redes sociais, o ator e humorista não fez nenhuma postagem sobre ter sido contaminado pela doença. Neste domingo (14), no Instagram, ele parabenizou o marido, Thales Bretas, pelo aniversário.

"Hoje é aniversário dele, do amoooooor da minha vida! Qualquer coisa que eu colocar aqui não será fiel ao que eu quero exatamente dizer para ele! Então, eu vou dizer ao vivo e aqui fica sendo apenas um post para dizer pro Brasil inteiro que eu sou loucamente apaixonado por você! Te amo", escreveu.

Há uma semana, antes de ser internado com Covid, Paulo Gustavo cobrou, por meio das redes sociais, a imunização da população e pediu para as pessoas ficarem em casa. No Instagram, ele postou uma notícia sobre a lotação das UTIs em todo o país. "Cadê a vacina, meu Deus? Se liga na aglomeração, gente. Sair de casa apenas quem precisa trabalhar."

FAMOSOS COM COVID

O cantor sertanejo Marlon e os apresentadores César Filho e Geraldo Luís são outros famos​os que contraíram o novo coronavírus em 2021 e tiveram de ser hospitalizados para tratar a doença.

Edson, da dupla com Hudson, ficou seis dias internado na UT do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, em São Paulo, para tratar uma pneumonia decorrente da Covid-19. Ele teve alta no sábado (13) da UTI, mas segue hospitalizado.

O apresentador Geraldo Luís também ficou 11 dias na UTI por complicações do coronavírus. Depois de ir para o quarto, ele cobrou a imunização da população. "Que a misericórdia e a vacina chegue a todos! Vacina urgente para um país doente."

O país teve sua semana mais letal na pandemia, com 12.795 mortes de segunda (8) até este domingo (14). O recorde semanal de mortes anterior pertence à semana passada, com 10.482 óbitos.

Nesta semana, pela primeira vez na pandemia, Brasil teve registros diários superiores a 2.000 mortes.​

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem