Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Rupert Grint diz que avalia abandonar carreira de ator após nascimento da filha

Ator afirma que poderia ir para ramo da construção ou da marcenaria

Rupert Grint e sua filha, Wednesday. - Instagram/lrupertgrinthot
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Rupert Grint, 32, afirmou que pensa em encerrar sua carreira como ator após o nascimento de sua primeira filha, Wednesday, com a atriz Georgia Groome, 28. Em entrevista ao jornal Sunday Times, o ator disse ser grato por todo o reconhecimento que ganhou ao interpretar Rony Weasleu na franquia "Harry Potter", mas sente falta de ser um anônimo.

Atualmente Rupert é uma das estrelas da série de terror "Servant", disponível na Apple TV+. "Eu sempre brinquei com a ideia de deixar de atuar e me tornar pai aumentou esse sentimento. Não me interpretem mal, adoro trabalhar em 'Servant' e me sinto extremamente confortável em um ambiente de TV", explicou.

O artista revelou que, caso parasse de atuar, gostaria de trabalhar com algo mais manual. "Talvez construção ou marcenaria. Acabei de começar minha própria produção de miniaturas de cerâmica. Se Wednesday está cochilando, eu faço pequenos potinhos."

Sobre a saga "Harry Potter" (2001), ele diz ter carinho pelos fãs e que nunca nega uma foto, mas "'Harry Potter" aconteceu quando era tão novo que acho difícil lidar com a fama em alguns momentos". "Quando encontro Dan [Radcliffe] ou Emma [Watson], a fama é a única coisa que nunca conversamos."

Wednesday, sua filha, nasceu em maio de 2020. O anúncio da chegada da primeira filha do intérprete foi feito através do Instagram. "Oi, Instagram… Só 10 anos atrasados, mas aqui estou. Grint no Gram! Estou aqui para apresentar vocês à Wednesday G. Grint. Fiquem seguros", escreveu na legenda.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem