Celebridades

Neusa Borges diz que cansou de ser atriz negra no Brasil e nega estar na miséria

Atriz critica mídia e afirma estar cansada de novelas, mas não de atuar

A atriz Neusa Borges
A atriz Neusa Borges - Instagram/neusaborgesoficial
São Paulo

A atriz Neusa Borges, 79, já passou por dois AVCs (Acidente Vascular Cerebral), em 2011 e 2012, e no ano passado foi surpreendida ao ser submetida a uma cirurgia de marcapasso quando foi resolver um problema no quadril. Ela diz que sua saúde está boa, mas nada tem sido pior que a tristeza de ler notícias falsas sobre a sua vida.

Com mais de 60 anos de carreira, Borges afirma que em nenhum momento esteve na miséria, como já foi noticiado, nem precisou vender seu brechó famoso em Salvador (BA) para pagar contas. “Eu doei o brechó para uma família pobre de Salvador. Eu não vendi por necessidade, eu doei até o último prego da parede de bom coração."

Cansada de ler mentiras, ela faz um forte desabafo. "Sou vítima dessa droga. Quase me mataram com essa mentira [da possível venda do brechó por necessidade]. Fui parar no hospital”, diz. "Sempre falando merda de mim durante toda minha carreira. Eu contribuí para a cultura, mas não me coloca na lata de lixo, porra", completa a artista, que atualmente mora no bairro baiano da Barra.

Pelo lado profissional, a atriz revela que gravou quatro filmes antes da pandemia que ainda vão ser lançados. Também diz ter três trabalhos para iniciar a partir de março de 2021. Mas descarta voltar às novelas por causa da falta de equiparação dos salários. Sua última foi “Escrava Mãe”, na Record, em 2016.

"No Brasil, parece que mulher nenhuma pode ganhar como o homem, e se ela é preta, pior ainda. Seja no cinema, na TV, na prefeitura ou em uma loja de shopping. Sei o que eu passei e estou cansada de ser o último salário mesmo fazendo um trabalho maravilhoso."

Confira trechos editados da entrevista com Neusa Borges:

SAÚDE Estou com marcapasso. Quando fui parar no hospital por causa de dores no quadril, o médico disse que eu precisava de um marcapasso [em agosto de 2020]. Fiz cateterismo. Foram 45 dias de repouso, remédios. Hoje em dia os preços dos remédios estão caros. É uma miséria ficar doente no Brasil. Minha saúde agora está boa. Tenho grandes amigos que me ajudam com meus remédios. Não tenho plano de saúde. Talvez eu tenha feito inimigos, mas fiz muito amigos que me adoram.

*

FINANÇAS Estou bem financeiramente. Não estou na miséria como falam na mídia. Não estou passando fome. Às vezes, temos o dia das vacas gordas e outros das vacas magras, mas é normal. [Quando falaram que eu estava com dificuldades financeiras] Eu me senti pega de surpresa. Na pandemia, para nós atores, a vida não foi fácil, claro. Muitos não estão trabalhando, eu mesmo não ganhei benefício nenhum, mas tenho minha aposentadoria. Estou sossegada. Estou ficando velha, só quero sombra e água fresca.

*

BRECHÓ Eu tinha uma loja conhecida internacionalmente, todos que chegavam a Salvador queriam conhecer a loja de Neusa Borges. Estou ficando velha, a loja ficou mais de um ano fechada pela pandemia e Carnaval, pois é próxima ao circuito. Eu doei o brechó para uma família pobre de Salvador. Eu não vendi por necessidade, eu doei até o último prego da parede de bom coração.

Meu brechó foi ajudado por artistas do Rio de Janeiro e Salvador, por outros atores que fizeram "Salve Jorge" [Globo, 2012] comigo. Até a Ivete [Sangalo] me doou duas ou três vezes peças de roupa. Mas pela terceira vez colocam na mídia meu nome atrelado ao de Bruna Marquezine, como se ela tivesse me ajudado. Falaram que se não fosse ela eu estaria passando fome. Tudo mentira. Toda vez que eu abro a minha boca para repórter sai tudo ao contrário. Não preciso de Marquezine para me promover.

FOFOCA Vejo muitos comentando sobre a minha vida, o Brasil é um redemoinho. Hoje em dia a fofoca é profissão. Pessoal ganha dinheiro assim. Nossa imprensa é marrom. Quando pega fogo no barraco já querem saber quem morreu. E eu sou vítima dessa droga. Quase me mataram com essa mentira [da possível venda do brechó por necessidade]. Fui parar no hospital. Essa entrevista [ao F5] é a última esperança para eu morrer em paz.

A mídia quando vai para cima de um artista, fica em cima. Estou agoniada, já chorei tanto que nem imaginam. Mereço que falem bem de mim, que falem a verdade. Moro na Barra, em Salvador, moro bem, não estou na miséria, sou aposentada há mais de dez anos. Minha família me ligando pensando que eu estava precisando de ajuda. Minha carreira inteira as pessoas sempre falando merda de mim. Eu contribuí para a cultura, mas não me coloca na lata de lixo. É tudo mentira. Pago todos os impostos. O Brasil está numa merda desgraçada, não sabemos o dia de amanhã. Mas as minhas contas estão todas em dia, não devo nada.

*

PROFISSÃO Atuar está no meu sangue desde criança. Estou com 79 anos e 60 anos de carreira. Tenho histórias maravilhosas. Os prêmios que eu ganhei, muitos artistas famosos gostariam de ter. Fiz quatro filmes antes da pandemia, mas ainda não foram lançados. Passei o ano todo viajando a trabalho. Estava com vontade de voltar para o cinema, mas nunca saí da televisão. Só saí porque tive dois AVCs. Tive problema de quadril e saí do hospital com marcapasso. Estou com muito trabalho para fazer. Que Deus nos abençoe para que a partir de março possa fazer três trabalhos, maravilhosos, como atriz. Também em televisão e tem cinema.

Não sei se quero novelas, está muito desgastante fazer novela. Eu vou te falar: eu cansei de ser atriz negra no Brasil. A luta é muito grande do ator negro no nosso país. Enche o saco falar de racismo, de preconceito. Não estou mais com saco para isso. Eu sei da minha vida, pois passei esses anos todos para chegar onde estou. A luta foi muito violenta.

*

DIREITOS IGUAIS No Brasil parece que mulher nenhuma pode ganhar como o homem, e se ela é preta, pior ainda. Seja no cinema, na TV, na prefeitura ou numa loja de shopping. Sei o que eu passei e estou cansada de ser o último salário mesmo fazendo um trabalho maravilhoso. Pessoas querem que você tenha casa com piscina, carro na garagem. De que jeito? Como mulher negra, ainda me perguntam onde eu enfiei toda a minha grana que eu ganhei. Vou falar onde eu enfiei...

*

SONHOS Quero fazer muitos trabalhos. Se Deus quiser essa pandemia vai passar e vou ficar com minhas filhas, meus netos e viver numa boa. Quero viajar muito. Tenho sonho de voltar ao México com minhas filhas.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem