Celebridades

Mel Lisboa cita frustração com 'Malhação' cancelada e diz que teve que se reinventar

Atriz também celebra os 20 anos de 'Presença de Anita': 'Marco da TV'

Mel Lisboa

Mel Lisboa Carlos Sales/Divulgação

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Os anos de 2020 e 2021 prometiam ser marcantes para a atriz Mel Lisboa, 38. Além de celebrar os 20 anos de seu primeiro trabalho na TV, a minissérie "Presença de Anitta" (Globo, 2001), ela também estava com tudo organizado para voltar às novelas da emissora carioca após 13 anos, como a mãe da protagonista adolescente de “Malhação: Transformação”.

O avanço da pandemia do novo coronavírus, no entanto, paralisou os planos da artista. Ainda em 2020 viu a nova temporada de "Malhação" ser adiada e depois cancelada. Ela, que já tinha programado a mudança de São Paulo para o Rio e já fazia a preparação da personagem, teve o contrato rescindido e não sabe se estará no projeto, que deve acontecer apenas em 2022.

“Eu estava superanimada e eles [a equipe] também, mas em outro momento vai rolar. Está tudo bem. A prioridade agora é cuidar da saúde pública e das pessoas, das crianças e de nós mesmos”, comenta ela, que, apesar disso, afirma ter outra proposta para retornar às novelas ainda neste ano.

Mas enquanto nada disso sai do papel, a atriz vai se virando como pode na quarentena. Casada com o músico Felipe Roseno e mãe dos filhos, Bernardo, 11, e Clarice, 7, diz que tem se reinventado nesse período.

“Passamos por tantas coisa nesses meses que é até difícil de avaliar no olho do furacão. Aprendendo a nos virar, revendo muitos conceitos, muitas prioridades e tendo que me reinventar em todos os sentidos, ressignificar muita coisa. É um período difícil de inseguranças, incertezas, preocupações”.

Sobre as celebrações pelos 20 anos de “Presença de Anita” (Globo, 2001), Mel Lisboa afirma ter muita gratidão pelo projeto e diz que até hoje é lembrada por isso, mas tem ressalvas sobre uma reexibição. "Não sei nem como seria rever. Tem coisas que hoje em dia não poderiam ser mais dessa forma. Apesar de toda a minha inexperiência da época, olho com carinho e gratidão."

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA


QUARENTENA Passamos por tanta coisa nesses meses que é até difícil de avaliar no olho do furacão. Aprendendo a nos virar, revendo muitos conceitos, muitas prioridades e tendo que me reinventar em todos os sentidos, ressignificar muita coisa. É um período difícil de inseguranças, incertezas, preocupações. Me preocupo com absolutamente tudo, não só individualmente, mas com o mundo, com o que ocorrerá com as pessoas.

*


SE SENTIU MAIS FRACA? Tanta gente que já morreu... é uma loucura. Ao mesmo tempo, eu tenho muitos privilégios, meus filhos estão bem, tenho minha casa, eles puderam estudar, fui me virando com a ajuda do Felipe [Roseno, marido e músico]. Fui achando alternativas de trabalho, mesmo que fossem só para nos preencher e nos fazer sentir mais produtivos. Deixar nossa mente ocupada para não enlouquecer.

*


FALTA DE TRABALHO EM 2020 Imagino que o nosso setor tenha sido um dos mais afetados, um dos primeiros a parar. E não retornou direito ainda. Teatro que é uma coisa que eu faço muito eu não sei quando vai voltar. A quantidade de profissionais que estão sem trabalho, incluindo eu, é grande.

*


"MALHAÇÃO: TRANSFORMAÇÃO" Eu estava escalada para "Malhação", me programei para trabalhar um ano e meio no Rio de Janeiro, mas a Globo parou tudo e depois de um tempo essa trama foi totalmente cancelada. Meu contrato foi rescindido. Era um projeto que eu tinha me programado e não aconteceu. Tive que me virar com outros trabalhos parecidos com o de atuação como fazer audiolivros e podcast de ficção.

*


NEM COMEÇOU A GRAVAR? No dia que iríamos gravar, em março, a Globo parou com tudo por causa da pandemia. E depois o projeto foi cancelado de vez. Se tiver será só em 2022, mas não sabemos se seria com o mesmo elenco. Todos foram dispensados. "Malhação" foi cancelada antes mesmo de a Globo voltar a gravar a dramaturgia com os protocolos. Deve ter sido uma questão de prioridades, de organização com os investimentos, não sei.

*


SEU SENTIMENTO SOBRE O CANCELAMENTO Eu estava superanimada e eles também, mas em outro momento vai rolar. Está tudo bem. A prioridade agora é cuidar da saúde pública e das pessoas, das crianças e de nós mesmos.

*


COMO SERIA A PERSONAGEM? Eu seria a mãe da protagonista, seria bem legal, era bacana a história. Passamos um tempo nos preparando, já estava no Rio. É muito sem precedentes o que estamos vivendo nessa pandemia, não sabemos como lidar. Fico observando e não tenho nem discernimento para entender ainda. Só quando isso passar que, com algum distanciamento, vou conseguir processar tudo isso. Estamos sobrevivendo.

*


AINDA QUER VOLTAR À GLOBO? Claro, tive vários ensaios de voltar para a Globo, mas não consegui por causa de datas. Tinha sempre outros projetos, e uma novela é longa e merece prioridade. E dessa vez eu tinha conseguido encaixar as datas, mas não rolou. É triste e preocupante por vários motivos inclusive financeiros, pois você se organiza e de repente está sem trabalho. Como eu e o Felipe somos artistas e os shows dele também acabaram, tivemos de nos organizar muito. Mas entendo que isso não é uma questão comigo, mas com o mundo todo.

*


COMO FEZ PARA SE MANTER ATIVA Fui convidada para fazer e produzir um solo em casa mesmo. A manifestação artística é da peça “Madame Blavatsky”. Criei um solo em casa com objetos da casa, figurino próprio, adaptei texto e fiz o espetáculo (a apresentação única aconteceu no dia 19 de dezembro de forma virtual). Foi o que me manteve ativa, criativa e com sanidade.

*


​20 ANOS DE "PRESENÇA DE ANITA" EM 2021 Foi um trabalho que de fato marcou minha trajetória, aliás, marcou a história da TV. Foi quando as pessoas me conheceram. Ainda está muito forte para muita gente. Mas eu mesma não tenho o hábito de rever minhas coisas. Não sei nem como seria rever hoje ou o que eu acharia dessa personagem. Tem coisas que hoje em dia não poderiam ser mais dessa forma. Apesar de toda a minha inexperiência da época, olho com carinho e gratidão.

*


RECEBE MENSAGENS ATÉ HOJE? Recebo ainda, sim, mensagens sobre a Anita. Bem menos, mas recebo. O sucesso na TV Globo era grande e atingia muita gente. O engraçado é que há um pessoal jovem que assistiu à série da Netflix da qual faço parte, a "Coisa Mais Linda", e ama a Thereza, minha personagem, mas não faz ideia que existiu a Anita na minha vida. Pessoas com 20 anos. Muita coisa mudou. Quem viveu a época diz que foi marcante. O elenco de "Malhação" mesmo não sabia que eu tinha feito "Presença de Anitta".

*


SAUDADES DA TV Com a pandemia está tudo muito inseguro, não sabemos se continuarão as gravações. Vejo apreensão nesse momento. Mas seria uma experiência muito legal fazer novela agora com maturidade que tenho. Seria muito diferente quase como se eu fosse outra pessoa.

*


PROPOSTA PARA VOLTAR Tem algo para esse ano sim, mas não posso falar ainda. Torço para que dê certo. Já joguei para o universo. Enquanto isso vou fazendo outros projetos. Está tudo tão esquisito que eu prefiro esperar. A última novela que eu fiz foi "Os Dez mandamentos" [Record, 2015]. Fiz só a primeira fase, gravei seis episódios durante três meses no deserto do Atacama (Chile). Era ritmo de série.

*


O QUE FALTA FAZER NA CARREIRA Imagina, tem muita coisa a ser feita ainda. Estou só começando, não sei de nada ainda.

*


​SOBRE BOLSONARO E A POLÍTICA BRASILEIRA Tenho meu pensamento político e faço parte da sociedade. Acho importante você entender e se colocar. Fui pesquisar, saber quem eram as pessoas que nos representam, o que elas fazem. Como cidadã tem horas que sinto necessidade de me posicionar. Agora, posicionar-se acarreta uma série de coisas, consequência atual desse momento polarizado das redes sociais.

*


MAIS SEGUIDORES OU HATERS? Depende. Tem gente que apoia, outros que xingam, enfim, o país está polarizado. Isso é uma questão grave, pois se você não ouve o outro, só fala para os seus, não há diálogo e a sociedade continuará separada. Quem olha minha rede social sabe como eu penso.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem