Celebridades

Atriz Fernanda Nobre dá detalhes de seu casamento aberto: 'Traição não existe'

Atriz afirma que é válido adicionar pessoas à relação

A atriz Fernanda Nobre - Instagram/fenobre
São Paulo

A atriz Fernanda Nobre, 36, deu detalhes de como é viver em um relacionamento aberto com o ator José Roberto Jardim. De acordo com ela, ambos têm um pacto no qual a traição não é uma questão para ciúme. Ela também se diz mais segura fora da monogamia.

Ao lado dele, fez um vídeo para explicar que sentir impulso sexual por outra pessoa não é considerado uma traição. “Existem homens que não compartilham da lealdade, não compartilham desse momento da gente pensar na união. Eles acabam te traindo onde não existe traição. No nosso caso, eu quis que a traição não existisse”, começou.

Ela complementa ao dizer que não era possível controlar um ao outro mesmo quando namoravam entre Rio de Janeiro e São Paulo. “É como se estivesse vivendo na monogamia, mas sem hipocrisia. A gente não está procurando nada, mas se alguém se interessar por alguém, se alguém tiver um impulso sexual por alguém, isso não é uma traição. Isso não é um crime horrível, ninguém está sacaneando ninguém A gente tem regras para isso dar certo”, diz.

Apesar de ser mais ciumenta do que ele, Fernanda afirma que consegue sobreviver com isso. Segundo ela, caso apareça uma terceira pessoa ela precisa ficar sabendo que existe uma relação aberta. Só tem medo de um dos dois se apaixonar.

“Ao mesmo tempo você também está mais ligado no outro, porque tudo pode. Isso me deixa muito mais segura. Isso não serve para todo mundo, não quer dizer que é o caminho da felicidade plena, não quer dizer que isso dá certo. É o que deu certo para mim na minha relação com ele”, finalizou.

Apesar de o casamento estar ótimo agora, nem sempre ela teve essa sorte. Em uma live recente, em um bate-papo com a ex-colega de trabalho, a atriz Samara Felippo, a artista se abriu ao falar sobre seu antigo relacionamento com o ator Gabriel Gracindo, com quem foi casada por oito anos, de 2005 a 2012.

Ela contou que após três anos do rompimento descobriu que vivia uma relação abusiva com o ex-parceiro. “Em 2015, foi a #MeuPrimeiroAbuso, no Facebook, que percebi que vivi um casamento abusivo por oito anos. Quem me despertou foram outras mulheres”, afirmou.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem