Celebridades

Andrea Bocelli pede desculpas por comentários sobre Covid-19 após críticas

Tenor havia dito que situação poderia não ser tão séria quanto as autoridades estavam dizendo

O tenor Andrea Bocelli
O tenor Andrea Bocelli - Charles Platiau/Reuters
Philip Pullella
Roma

O tenor italiano Andrea Bocelli, 61, pediu desculpas nesta quarta-feira (29) por parecer menosprezar o coronavírus ao afirmar que não conhecia ninguém que esteve em terapia intensiva, em comentários que irritaram muitos e provocaram uma tempestade de críticas nas mídias sociais.

Em um vídeo no Facebook, Bocelli pediu perdão por qualquer sofrimento, dizendo que "não era minha intenção ofender aqueles que foram atingidos pela Covid".

Em declaração no Senado na segunda-feira (27), Bocelli disse acreditar que a situação poderia não ser tão séria quanto as autoridades estavam dizendo, porque não conhecia ninguém que havia passado por terapia intensiva. Ele instou as pessoas a desobedecerem as regras ainda em vigor.

Autoridades de saúde o criticaram e houve comoção nas mídias sociais, onde viralizou no Twitter a hashtag #BocelliVergognati (Que vergonha, Bocelli).

"Atenha-se a cantar!", escreveu um usuário na rede social, acrescentando que o astro cego teve a sorte de passar o isolamento "em sua imensa casa e que ninguém da sua família morreu".

Mais de 35 mil italianos morreram por causa do coronavírus.

Um tuíte pediu ao grupo de direitos autorais dos artistas italianos que retirasse os royalties de Bocelli e outro disse que os comentários do tenor não fazem sentido "se você é de direita ou de esquerda".

Os comentários originais de Bocelli surpreenderam muitos, já que ele se tornou um símbolo da unidade nacional no auge do isolamento, no domingo de Páscoa, quando cantou em uma catedral de Milão vazia.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem