Celebridades

Deputado que relacionou Felipe Neto a massacre de Suzano é condenado a pagar R$ 35 mil

Youtuber diz que dinheiro será doado ao Instituto Marielle Franco e ao Ocupa Sapatão

Felipe Neto e Carlos Jordy
Felipe Neto e Carlos JordyFelipe Neto e Carlos Jordy - Instagram/Michel Jesus
São Paulo

O youtuber Felipe Neto, 32, comemorou nesta quarta-feira (18) a vitória de uma ação movida contra o deputado federal Carlos Jordy, 38, que no início de 2019 o acusou de incitar em um de seus vídeos o massacre ocorrido em Suzano.

Na época, Neto disse que o político estava cometendo um ato de calúnia e que informaria sua equipe jurídica para tomar as ações necessárias.

Um ano depois do caso, o deputado é condenado e deve pagar um valor de R$ 35 mil a Felipe Neto. "Vitória! O dinheiro será integralmente doado para o Instituto Marielle Franco e o movimento Ocupa Sapatão. Que sirva de exemplo para esses deputados que acham que estão acima da lei e podem falar o que quiser para tentar destruir opositores. Carlos Jordy teve a pachorra de pedir imunidade parlamentar em sua defesa. Perdeu!", escreveu o youtuber nas redes sociais, compartilhando o valor a ser pago.

Procurado pela reportagem, Carlos Jordy não se manifestou até a publicação deste texto.

A briga começou em março de 2019, quando o Jordy escreveu no Twitter: "Quando digo que pais não devem deixar os filhos assistirem aos vídeos do Felipe Neto, não é brincadeira. Em 2016, ele fez vídeo ensinando a entrarem em sites da deepweb. Agora descobriram que os assassinos de Suzano pegaram informações para o massacre num dos sites após assistirem ao vídeo".

Felipe, então, respondeu: "Um Deputado Federal vindo a público cometer crime de calúnia. 1) Ele não sabe o que é deep web e nunca ensinei nada disso; 2) A mentira de que os terroristas conheceram os chans por minha causa foi armada pelos próprios chans; 3) Vai responder criminalmente."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem