Celebridades

Juliano Cazarré é criticado por seguidores após postar vídeo e falar sobre masculinidade

Fãs reprovaram o fato de o ator ignorar que muitos lares são chefiados por mulheres

Juliano Cazarré
Juliano Cazarré causa polêmica com postagem no Instagram - João Cotta/Globo
São Paulo

Juliano Cazarré, 39, causou polêmica na internet ao compartilhar um vídeo nesse sábado (2). Nele, o ator rebate a ideia de que a masculinidade é uma construção social e fala também sobre a diferença que um "pai legal" pode fazer na vida das pessoas. 

"A masculinidade é uma construção social... Só que não! PROVER E PROTEGER: a masculinidade faz do mundo um lugar mais seguro. PS1: Quem tem um pai legal sabe. PS2: Esse gorila é mais cavalheiro do que muito homem por aí... dorme com esse barulho", postou o ator em sua página no Instagram.

Muitos fãs do artista não gostaram do que viram e se manifestaram. Uma delas comentou que no Brasil boa parte dos lares não conta com a presença de um pai. A mãe é a chefe da família e vive só com os filhos. Diante desse argumento, Cazarré reconheceu o esforço das mulheres que vivem nessa situação, mas não voltou atrás em sua opinião.

"Isso sem contar o fato de que é muito prejudicial para os meninos crescer sem uma figura masculina. Mães solteiras são heroínas, mas dificilmente saberão transmitir os valores da masculinidade", escreveu o ator.

Para outra seguidora que foi criada apenas pela mãe, disse estar prestes a se formar e pediu para o ator  "mudar seu conceito de que a figura paterna interfere na criação ou não do caráter de um filho", alegando que não há relação entre esses fatores, Cazarré respondeu que  "está mais do que na hora de você ler as pesquisas e estatísticas sobre o a proporção de homens sem pai que abandonam a escola/ caem na criminalidade/ acabam presos..." .

O artista é casado com Letícia Cazarré, com quem tem três filhos. Ele voltará às novelas em "Amor de Mãe", trama que substituirá "A Dona do Pedaço", às 21h, na Globo. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem