Celebridades

Igreja de satanismo julga era gospel de Kanye West: 'Diabo é o melhor amigo que ele já teve'

Rapper acaba de lançar o álbum 'Jesus is a King' e já anunciou continuação, 'Jesus is Born'

Kanye West lançou 'Jesus is a King' no dia 25 de outubro
Kanye West lançou 'Jesus is a King' no dia 25 de outubro - Saul Loeb/AFP
São Paulo

Kanye West, 42, lançou o álbum "Jesus is a King" nesta sexta-feira (25) e rapidamente virou alvo de comentários diversos nas redes sociais. Um deles chamou a atenção por ter sido feito pela Igreja de Satã, uma igreja de satanismo fundada por Anton Szandor LaVey em 1966.

"Satanás é o melhor amigo que Kanye já teve, pois ele o manterá nos negócios por todos esses anos", diz um tuíte do pefil da igreja no Twitter.

As 11 faixas do álbum "Jesus is a King" têm temática gospel, e Kanye já disse que nunca mais tocará suas músicas antigas em seus formatos originais, segundo o portal norte-americano TMZ.

Fontes próximas ao cantor afirmaram que ele está empenhado em sua nova fé e dedicado a fazer músicas a Deus, sem se preocupar com as críticas a seu novo álbum. Na quinta (24), o cantor anunciou em entrevista à rádio Beats 1, da Apple Music, a sequência do disco, chamada "Jesus is Born", com lançamento previsto para o dia 25 de dezembro. 

West é responsável por alguns dos mais significativos discos da história do rap, como “The College Dropout”, de 2004, no qual já mostrava certa atração pelo cristianismo, e “My Beautiful Dark Twisted Fantasy”, de 2010, álbum que combina com perfeição uma produção musical ambiciosa (que apagava distinções entre a música eletrônica moderna e o soul/funk) e letras que faziam observações espertas a respeito de raça, cultura e consumismo.

Na entrevista à rádio Beats 1, Kanye também afirmou que ele se considera o maior artista de todos os tempos: "Não é sequer uma questão. É um fato". 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem