Celebridades

Grazi Massafera celebra boa fase e diz ter se boicotado no início: 'Não sabia receber elogio'

Atriz é protagonista de 'Bom Sucesso', trama das 19h da Globo

Grazi Massafera na pele de Paloma, uma costureira, na novela 'Bom Sucesso'

Grazi Massafera na pele de Paloma, uma costureira, na novela 'Bom Sucesso' Victor Pollak/Globo

Cris Veronez
Rio de Janeiro

Grazi Massafera, 37, estreou nas novelas em 2006, como a personagem Thelma de “Páginas da Vida”. Mas foi só agora, como protagonista de “Bom Sucesso”, novela das 19h da Globo, que a atriz afirma ter aprendido a receber elogios e a acreditar neles. 

“Estou vibrando na energia do merecimento pela primeira vez, porque antes eu sempre me boicotava. Eu não sabia receber elogios. Estou aprendendo com essa personagem e com esse momento de carreira”, afirmou a atriz ao F5.

“Eu achava que eu não merecia os elogios e que eles aconteciam porque a pessoa gostava muito de mim ou porque queria puxar meu saco. Existiu um trabalho interno para eu vibrar no merecimento.”

Grazi diz que quando decidiu ser atriz, após sair do “BBB 5”, pensou que viveria uma vida glamorosa, mas percebeu que a profissão exigia muito mais ralação do que imaginava. “É para quem realmente leva a sério e quer crescer, ao invés de só alimentar a vaidade, esta é uma profissão dura, mas também muito prazerosa.”

Um dos motivos que impulsionaram Massafera a aceitar o papel na novela de Rosane Svartman e Paulo Halm foi a possibilidade de homenagear sua mãe, a costureira Cleuza, através da personagem Paloma, que tem a mesma profissão. 

“Escutei barulho de máquina de costura a minha infância toda. Faz parte da minha memória afetiva... Eu sei mexer na máquina e vivia nos pés da minha mãe fazendo roupinhas de boneca. Ela costurando em cima e eu embaixo. Minha avó também foi costureira, então isso é de família. Eu sei fazer algumas coisas também.”

Trabalhar ao lado de Antônio Fagundes, que interpreta o empresário Alberto, melhor amigo de Paloma, também é motivo de orgulho para Massafera. Recentemente, ela disse que ela é uma “atriz de mão cheia”. “Para mim é uma formação, que venho conquistando diariamente. Estar ao lado de um ícone como ele é uma honra”, afirma ela.

Falando em formação, Grazi diz que admira a capacidade de Fagundes para decorar os textos e diz que decorar falas era algo que a deixava muito ansiosa. Com o tempo, analisando ela acabou encontrando o jeito que funciona e provoca mais suas emoções. “Já a yoga me trouxe foco, concentração e diminuiu minha ansiedade”, afirma.

Com o sucesso da novela, Grazi conta que tem sido abordada nas ruas. Recentemente, chegou a encontrar uma mulher que vive o mesmo drama que Paloma enfrentou no início da novela: o descobrimento de uma doença grave. 

“Eu abracei ela e quase comecei a chorar. Chegar até as pessoas e ressignificar momentos difíceis com uma novela tão leve é o que faz sentido para mim hoje em dia. Não é mais o dinheiro. Estou bem [financeiramente].”

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem