Celebridades

Jacquin lamenta queimadas na Amazônia e diz que governo francês não pode ofender o Brasil

Chef diz que já se sente mais brasileiro do que francês

Erick Jacquin. - Carlos Reinis/Band
Beatriz Vilanova
São Paulo

Érick Jacquin, 54, se pronunciou na noite deste domingo (25) sobre as queimadas na Amazônia. Após a acirrada final do 6º MasterChef Brasil Amadores, vencida por Rodrigo, o jurado disse que hoje se sente muito mais brasileiro do que francês. 

"Estou muito triste pela Amazônia. Não sei como vai resolver esse problema, mas eu me sinto brasileiro. O governo francês não pode ofender o Brasil. E o povo brasileiro, [seja de] direita ou esquerda, não tem importância nenhuma, mas eu gostaria que essa Amazônia fosse preservada", disse à imprensa. 

"[Quanto] mais tempo faz, mais a minha vida é no Brasil. Eu tenho 54 anos e 27 anos no Brasil, então estou na metade. Ano que vem vou ser muito mais brasileiro do que francês. Por isso, hoje eu acho que meu país é o Brasil. E o MasterChef mudou muito a minha vida, sem saber, com Paolla, Fogazza, Ana Paula".

Jacquin avalia a temporada de MasterChef como um bom período de evolução. "Não tem temporada mais equilibrada ou menos. Todas são diferentes", disse o chef. "A gente tem uma evolução muito grande, igual ao Brasil".

Agora, ele se prepara para seu programa solo, Pesadelo na Cozinha, uma versão divertida do internacional Kitchen Nightmares.

O programa irá ao ar às terças-feiras, por volta das 22h45, estreando nesta terça-feira (27). A ideia é que, nele, o chef ajude donos de outros estabelecimentos a seguir os rumos da cozinha eficiente, indicando possíveis erros de negócios.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem