Celebridades

Jussie Smollett, da série 'Empire', nega ter mentido sobre agressão racial sofrida em Chicago

Ator se declarou inocente, nesta 5ª, diante de um tribunal nos EUA

Jussie Smollett
Jussie Smollett - Kamil Krzaczynski/ Reuters

Kimberly Bellware
Chicago

Jussie Smollett, 26, ator da série “Empire - Fama e Poder”, esteve diante de um tribunal nos Estados Unidos nesta quinta-feira (14) e se declarou inocente das acusações de que mentiu à polícia ao relatar ter sido vítima de uma agressão racial e homofóbica em uma rua da cidade de Chicago.

Smollett permaneceu sério e quieto perto de seus advogados quando o juiz Steven Watkins, do circuito do condado de Cook, foi designado para seu caso e o instruiu a voltar ao tribunal no dia 17 de abril. 

Em um indiciamento encaminhado ao grande júri na quinta passada, Smollett, que é negro, abertamente gay e interpreta um músico homossexual no drama de hip-hop da rede Fox, recebeu 16 acusações de conduta desordeira por supostamente ter feito relatos falsos sobre um ataque de que teria sofrido. 

Cada acusação implica em uma pena máxima de três anos de prisão e uma multa de US$ 25 mil (cerca de R$ 95,8 mil). Smollett e seus advogados não quiseram comentar ao sair da sala do tribunal.

O ator foi acusado do crime de conduta desordeira por fazer uma denúncia falsa ao dizer à polícia que foi atacado, em janeiro, por apoiadores mascarados do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. 

Segundo a queixa feita pelo ator, os agressores o espancaram, colocaram um laço em seu pescoço e derramaram um produto químico líquido sobre ele enquanto gritavam ofensas racistas e homofóbicas. 

Para os procuradores do caso, no entanto, Smollett deu um cheque de US$ 3.500 (R$ 13,4 mil) a dois irmãos, que foram presos em 13 de fevereiro. Eles confessaram a trama, disse a polícia, se tornaram testemunhas cooperativas e foram soltos sem acusações.

Smollett chegou a ser preso em 21 de fevereiro, mas foi solto em seguida após pagar fiança. O juiz Watkins aprovou um pedido dos advogados do ator para que ele possa viajar livremente para Nova York e a Califórnia para consultar suas equipes legais nas duas cidades.

Após sua prisão, o ator teve seu personagem cortado dos dois últimos episódios da temporada de "Empire". "Embora essas alegações sejam muito perturbadoras, estamos colocando nossa confiança no sistema legal enquanto o processo se desenrola", disse comunicado dos produtores. 

Reuters
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem