Celebridades

Famosos lamentam morte de Caio Junqueira

Ator sofreu grave acidente de carro

O ator Caio Junqueira em 2007 - TV Globo/Bob Paulino
São Paulo e Rio de Janeiro

"Muita luz, muito amor no caminho do querido Caio Junqueira. Que esteja com os anjos". As palavras são da Vannessa Gerbelli, que publicou a mensagem em uma rede social após o falecimento do ator, nesta quarta-feira (23). 

Caio Junqueira morreu nesta madrugada, no Hospital Miguel Couto, no Rio de Janeiro. O ator, famoso por interpretar o policial Neto no filme "Tropa de Elite" (2007), estava internado há uma semana após sofrer um grave acidente de carro no último dia 16. 

O artista tinha 42 anos, era filho era filho do também ator Fábio Junqueira (1956-2008) e irmão de Jonas Torres. 

Amigo do ator há mais de 30 anos, o ator Ângelo Paes Leme publicou, também em uma rede social, uma série de fotos ao lado de Caio Junqueira. Ao F5, o ator falou sobre a irmandade entre os dois e relembrou uma viagem que fizeram juntos.  

"Existe uma irmandade mesmo entre a gente. Sempre o admirei muito, não só como amigo, mas como artista. Que ele tenha luz nessa caminhada. É uma coisa muito triste", disse Ângelo Paes Leme.

Além de Gerbelli, outros famosos, como a atriz Danielle Winits, o cantor Evandro Mesquita e a apresentadora Sonia Abrão, da RedeTV!, lamentaram a morte do ator em suas redes sociais.

A escritora Gloria Perez, que trabalhou com Caio Junqueira na minissérie "Desejo", exibida na Globo em 1990, se referiu ao ator como seu "eterno Quidinho", personagem interpretado por ele na obra. 

"Mais uma perda! Todos dizem que cada um tem sua hora, mas a minha sensação com a morte de Caio Junqueira, nessa madrugada, aos 42 anos, é a de que ele foi chamado bem antes do tempo! Começou muito triste essa quarta!", escreveu Sonia Abrão. 

"Tão cedo. Descanse em paz, Caio", disse Danielle Winits na legenda de uma foto do ator. 

"Muito muito muito muito triste! Um garoto nota 1000, um puta cara, um puta ator! Vá com Deus, querido Caio!", escreveu Evandro Mesquita na mesma rede social. 

Lázaro Ramos, Emílio Ocirollo Netto, Letícia Sabatella, Rafael Zulu, Luiz Fernando Guimarães, Walcyr Carrasco e Marcos Pasquim, entre outros, também lamentaram a morte de Caio Junqueira. 

Na galeria a seguir, veja a repercussão da morte do ator em publicações de famosos nas redes sociais.  

VELÓRIO

Segundo familiares e amigos de Caio Junqueira, que falaram com a imprensa na entrada do hospital após a divulgação da morte do ator, o corpo será velado no cemitério São João Batista, nesta quinta-feira (24). 

"Fui em casa pegar umas coisas necessárias para o sepultamento mas ainda nem sei onde e que horas vai ser. Está todo mundo chocado. Só tinha 42 anos. Ele tinha um coração maior que o mundo. Acho que é por isso que não cabia mais aqui. Era um ser humano e um artista extraordinário. É só isso o que sei dizer", disse o ator Flávio Rocha, amigo de Caio Junqueira.  

"Ele era super  alegre e divertido. Vivia fazendo piadas e era para cima. Tinha muita vida, era forte, bonito, saudável e vivia intensamente a vida. Eu estava fazendo um trabalho na Europa e acabei de chegar. Não sei se ele tinha algum outro trabalho em mente, mas ele estava sempre trabalhando né? Provavelmente tinha algumas coisas engatilhados", afirmou o ator Freddy Ribeiro.

"Na vida da gente, fazer planos é uma coisa meio complicada. A gente vai vivendo. Infelizmente a vida dele foi interrompida de uma maneira muito trágica e rápida. Mas fica o trabalho dele, o sorriso, a alegria dele para a gente. São muitos momentos marcantes com ele. A vida no posto 9 [da praia de Ipanema], na casa dele, nos jantares, nos ensaios ou nos palcos fazendo teatro", completou Ribeiro. 

Já o ator Marcello Gonçalves, amigo de Caio Junqueira há 27 anos, o artista "era uma luz, um profissional exemplar e um companheiro que não media esforços, que não negava nunca um abraço, um apoio e uma palavra amiga." 

"O Brasil perdeu um talento, de televisão, cinema e teatro. E os amigos mais próximos perderam um irmão, uma pessoa de coração imenso. Quando conheci Caio, vi que ele tinha um coração muito generoso, que era uma pessoa de ideias, projetos e realizações, um homem respeitado. É uma perda imensa para nossa cultura. Espero que essa passagem seja feita com muita luz", disse Gonçalves.

Em 2003, Gonçalves morou com o amigo em Portugal. "Foi um ano muito mágico e rico. Tínhamos feito um espetáculo aqui no Rio chamado 'O Auto da Barca do Inferno' e no ano seguinte fomos trabalhar lá em Portugal. Ficamos esse um ano produzindo coisas e realizando projetos. Estou perdendo um irmão muito querido", afirmou.

 
 
 
 
 
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem