Celebridades

Homem que vendeu drogas a Demi Lovato já foi pego com armas e drogas pela polícia

Brandon Johnson está na mira da polícia há mais de um mês

Demi Lovato, durante MTV Video Music Awards, em 2017
Demi Lovato, durante MTV Video Music Awards, em 2017 - Danny Moloshok/Reuters - 27.ago.2017
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Brandon Johnson, o suposto traficante acusado de ter vendido substâncias à cantora Demi Lovato, 25, é um velho conhecido da polícia americana, segundo o site americano TMZ. Ele já havia sido flagrado com drogas e armas um mês antes da overdose da cantora.

Antes desse flagra, Johnson havia sido preso ao ser flagrado com armas, drogas e com dinheiro em março deste ano. No momento da autuação, ele disse que carregava drogas e estava armado. A polícia fez uma busca em sua casa, onde foram encontradas mais substâncias e armas. Apesar disso, ele acabou livre da acusação.

Em junho, ele foi preso novamente por dirigir embriagado e por posse de cocaína. Demi Lovato estaria em contato com Johnson desde abril, segundo TMZ. Desde então, ele fornecia drogas à cantora. O traficante teria recebido uma mensagem de Demi às 4h do mesmo dia em que a artista foi encontrada desacordada.

No dia em que sofreu a overdose, Demi teria enviado uma mensagem ao traficante para que ele fosse até sua casa. Ainda segundo a publicação, ele teria levado para ela oxicodona, um opioide analgésico semelhante à morfina, que estaria misturado com fentanil, outro tipo de analgésico. ​​

Fontes do site americano afirmam que Johnson estaria espalhando a todos que vivia um romance com a cantora. Mesmo com todas as acusações, ele afirma que nunca comercializou drogas.

O TMZ afirma que o traficante costumava comprar drogas contaminadas no México. A droga levada para Demi é a mesma que causou a morte de Prince em abril de 2016, e do rapper Lil Peep, em 2017. ​​​

Ainda de acordo com o TMZ, o traficante teria fugido assim que notou que Demi estava com dificuldade de respirar. Desde o ocorrido, a cantora passou por uma clínica de reabilitação e foi encaminhada para um novo tratamento psiquiátrico em Chicago. Sua turnê na América do Sul foi cancelada

DEMI ESCREVE CARTA AOS FÃS

Nas redes sociais, Demi quebrou o silêncio e falou sobre a dificuldade de lidar com o vício. A cantora disse que continuará lutando. "Tenho sido transparente sobre meu vício durante toda a minha jornada. O que eu venho aprendendo é que isso não é uma simples doença que desaparece com o tempo. É algo que eu preciso superar e ainda não consegui", afirmou.

 A jovem, que já tratava de distúrbios alimentares, bulimia, anorexia e automutilação, agradeceu à família e aos médicos que a atenderam no hospital. "Quero agradecer a Deus por me manter bem e sã e salva. Aos meus fãs, eu sou eternamente grata por todo o seu amor e apoio que eles têm dado ao longo de toda essa semana”, disse.

Demi sofre com o vício em álcool e drogas desde o início de sua carreira e já passou por internações para tratar problemas psicológicos e alimentares em 2010. Em março deste ano ela chegou a comemorar seis anos de sobriedade. Em sua última música, 'Sober', lançada em junho, no entanto, ela se desculpava por não estar sóbria.​​

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem