Celebridades

'Eu era uma menina quando tive a Rafa, só amadureci com a separação', diz Ticiane Pinheiro

Mãe de Rafaella, de 8 anos, apresentadora contou sobre o dia a dia com a filha

Ticiane Pinheiro em entrevista a Álvaro Leme
Ticiane Pinheiro em entrevista a Álvaro Leme - Divulgação

São Paulo

Mãe de Rafaella, 8, da união com Roberto Justus, Ticiane Pinheiro, 41, revelou ser uma mãe meio atrapalhada.

Em entrevista a Alvaro Leme em seu canal no YouTube, a apresentadora contou algumas de suas histórias, que fazem a filha dar risada.

"Participo de grupos de WhatsApp de mães do colégio, o povo todo falando em inglês, porque é escola americana, e eu só respondo em português. Outro dia vi que ia ter comemoração e perguntei de quem era aniversário. Responderam apenas St. Patrick. Levei presente, achando que era uma criança, e lá descobri que era dia de Saint Patrick. Já levei a Rafa para a festa errada, mandei de bruxinha para a casa da amiga no dia errado... Ela morre de rir", contou Ticiane.

"Eu era uma menina quando tive a Rafa. Acho que só amadureci mesmo no ano passado, quando fiz 40 anos. Brincadeira, acho que meu amadurecimento veio mesmo na minha separação. Aí eu me vi sozinha com uma filha, tive que me mudar. Hoje eu tenho esse peso da importância de educar minha filha. Fico pensando se estou fazendo certo ou não, mas nunca li nenhum livro sobre educação. Vou no meu instinto", conta a apresentadora.

Ela revela que, por Rafaella ser sua filha única e a caçula do pai, tem medo de que a menina se torne mimada. "Às vezes acho que ela está mimada. Ela fala que eu sou brava e que o pai é bonzinho, mas ela passa só fim de semana lá. Aqui, no dia a dia, eu que tenho que puxas as rédeas, dar bronca."

SOBRE A SEPARAÇÃO DE TRALLI

Ticiane considera que, quando começou a namorar o jornalista César Tralli, foi com muita sede ao pote para casar e ter filhos, e a diferença de expectativas levou o casal à separação.

"Quando me separei, para mim foi realmente difícil, foram oito anos casada. Queria casar de novo, ter filhos. Naquela época ele não queria casar, não queria ter filho, nada. Já fui colocando o cara na parede, querendo casar e ter filho, tudo com hora marcada. A gente tinha pensamentos diferentes. Quando voltamos, decidimos viver um dia de cada vez. Ele voltou querendo casar, morar junto, ter festa, e hoje a gente pensa em ter filho. Eu queria viver essa emoção novamente."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem