Celebridades

Cunhado de Ana Hickmann é absolvido da acusação de homicídio doloso

TJMG considerou que ele agiu em legítima defesa ao atirar em homem que se dizia fã da apresentadora 

Ana Hickmann na inauguração do Hotel Palacio Tangara, em São Paulo, em junho de 2017
Ana Hickmann na inauguração do Hotel Palacio Tangara, em São Paulo, em junho de 2017 - Ze Carlos Barretta/Folhapress

São Paulo

Gustavo Corrêa, cunhado da apresentadora Ana Hickmann, foi absolvido da acusação de matar Rodrigo Augusto de Pádua, que se dizia fã da artista, em caso ocorrido em maio de 2016. Nesta terça (3), A juíza Âmalin Aziz Sant'Ana, titular do 2º Tribunal do Júri de Belo Horizonte, considerou que o réu agiu em legítima defesa.

"Se o acusado Gustavo efetuou um ou três tiros, tal questão é resolvida com o conhecimento pacífico e indiscutível de que a legítima defesa não se mede objetivamente, pois, a pessoa que luta por sua vida, desfere tantos tiros quanto sua emoção no momento, ou mesmo seu instinto de preservação, demonstram ser necessários. Nenhum de nós, em momento de contenda física incessante, como comprovado, consegue ter discernimento se se está efetuando os disparos estritamente necessários para resguardar sua vida, ou não", escreveu a juíza. 

Segundo a assessoria do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, a sentença vai ser publicada nesta quinta (5) e as partes ainda podem recorrer da decisão.

O F5 não conseguiu localizar a família de Rodrigo. 

O CASO

No dia 21 de maio de 2016, com um revólver calibre 38, Rodrigo rendeu Gustavo no corredor de um hotel em Belo Horizonte para forçá-lo a entrar no quarto onde Ana e sua concunhada, Giovana Alves de Oliveira, estavam. Muito agitado e falando frases desconexas, ele obrigou os três a se virarem de costas para uma parede, com as mãos na cabeça.

Segundo a PM, Gustavo se recusou a cumprir a ordem. O atirador, então, disparou duas vezes contra Giovana. O cunhado da apresentadora reagiu e entrou em luta com Rodrigo. Ana e Giovana saíram correndo do quarto.

Gustavo afirmou à polícia que, durante a briga, a arma de Rodrigo disparou. O atirador morreu no local. Após a briga, Gustavo desceu no térreo e entregou a arma na recepção. 

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem