Celebridades

'Vergonha', diz Gisele Bündchen sobre decreto de Temer que extingue reserva na Amazônia

Gisele Bundchen no lançamento da Rosa Chá em São Paulo
Gisele Bundchen no lançamento da Rosa Chá em São Paulo - Raphael Castello/AgNews


Para Gisele Bundchen o decreto do presidente Temer (PMDB) que extingue reserva na Amazônia para ampliar exploração mineral é uma "vergonha".

"Estão leiloando nossa Amazônia", disse a modelo na rede social Twitter nesta quinta (24).

"Não podemos destruir nossas áreas protegidas em prol de interesses privados", completou.

Nesta quarta (23), o presidente Michel Temer extinguiu uma área de reserva ambiental de 46.450 km tamanho equivalente ao do Espírito Santo, na divisa entre Pará e Amapá, conhecida como Renca (Reserva Nacional de Cobre e seus Associados). A região possui reservas minerais de ouro, ferro e cobre.

A Renca foi criada em 1984, durante o regime militar. Dentro da reserva estão localizadas partes de três unidades de conservação (UC) de proteção integral, de quatro unidades de conservação de uso sustentável (uma delas na qual a mineração era permitida a partir de um plano de manejo) e de duas terras indígenas.

ATIVISMO

Bundchen é conhecida por seu ativismo ambiental. Em junho, a modelo também recorreu ao microblog para pedir que Temer vetasse a diminuição da área preservação da Amazônia.

Os textos da artista, com versões em inglês e português, remetiam ao site da ONG WWF Brasil, que fez campanha pelo veto integral das medidas provisórias 756 e 758 que reduzem a proteção de 597 mil hectares de áreas na Amazônia.

Dias depois, o mandátario respondeu a modelo, também pelo Twitter.

"Vetei hoje integralmente todos os itens das MPs que diminuíam a área preservada da Amazônia", disse o mandatário em tuíte marcando o perfil da modelo e da ONG WWF no microblog.



Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias