Bichos

Berlim ignora demanda para batizar filhotes de panda de Hong e Kong

Dois bebês pandas nasceram em Berlim
Dois bebês pandas nasceram em Berlim - Odd Andersen/AFP
Descrição de chapéu Deutsche Welle
Berlim

Apesar de preferência popular por nomes em apoio a protestos de Hong Kong, pandas nascidos no Zoológico de Berlim são batizados de Meng Xiang e Meng Yuan. "Não fazemos política com animais", diz prefeito da capital.

O Zoológico de Berlim revelou nesta segunda-feira (9) o nome dos dois pandas nascidos em agosto. Contrariando uma pesquisa que indicou como preferência dos berlinenses Hong e Kong, em sinal de apoio aos protestos no território semiautônomo chinês, os animais foram batizados de Meng Xiang, que significa sonho desejado, e Meng Yuan, sonho realizado.

Ambos os pandas são machos. Atualmente, eles pesam cerca de seis quilos cada e estão começando a andar. Segundo o zoológico, Meng Xiang e Meng Yuan dormem a maior parte do tempo.

A revelação dos nomes e do sexo dos filhotes seguiu a tradição chinesa, que estabelece que ela deve acontecer quando os filhotes completam 100 dias. A cerimônia contou com a presença do prefeito de Berlim, Michael Müller, e do embaixador da China na Alemanha, Wu Ken.

Essa foi a primeira vez que os filhotes foram apresentados à imprensa. Dezenas de repórteres se acumularam em volta da caixa de vidro onde estavam os pandas deitados em cima de um colchão aquecido. Um dos filhotes parecia estar dormindo, quando o outro virou às costas para os fotógrafos, arrancando risos dos presentes.

Ao público, os filhotes de pandas berlinenses só serão apresentados no início do próximo ano, quando já estiverem caminhando e mais familiarizados com o ambiente.

A escolha dos nomes dos filhotes gerou polêmica. Em setembro, o jornal local Tagesspiegel lançou uma pesquisa de opinião sobre o tema e os nomes preferidos foram Hong e Kong, em um sinal de apoio os protestos pró-democracia que ocorrem desde junho em Hong Kong. O diário Bild endossou a ideia e foi além, sugerindo também Democracia e Liberdade.

Dificilmente essas sugestões seriam aprovadas, pois, apesar de terem nascido em Berlim, Meng Xiang e Meng Yuan pertencem à China e devem ficar em Berlim por no máximo quatro anos. Assim que forem desmamados e não dependerem mais da mãe, eles serão devolvidos. O zoológico disse que também opinou sobre os nomes e deixou claro a preferência por nomes chineses.

O embaixador da China se posicionou contra as sugestões que prentendiam homenagear os manifestantes de Hong Kong.

"É um absurdo. Acho errado. O lado chinês sugere e pode escolher dois desses nomes. Assim, decidimos pelos nomes Meng Xiang e Meng Yuan", disse Wu Ken em entrevista durante a cerimônia de revelação.

O governo de Berlim também evitou politizar a questão. "Não fazemos política com animais. Pode-se debater todas as questões políticas entre si. É justamente o que faço quando estou em visita à nossa cidade parceira de Pequim. Mas aqui, os animais estão em primeiro plano", disse o prefeito de Berlim, Michael Müller.

O raro nascimento de pandas gêmeos foi uma sensação no Zoológico de Berlim. Sua mãe, Meng Meng, e o seu pai, Jiao Qing, chegaram na cidade em junho de 2017, como parte de um programa conhecido como "diplomacia do panda", no qual a China empresta os animais para reforçar laços com outros países.

Pelo empréstimo de 15 anos, Berlim pagará US $ 15 milhões (cerca de R$ 62 milhões). A maior parte deste aluguel é destinada a um programa de proteção do habitat da espécie e de pesquisas de conservação na China. O zoológico investiu ainda cerca de nove milhões de euros na construção do espaço que abriga Meng Meng e Jiao Qing

Ameaçados, estima-se que apenas cerca dois mil pandas selvagens existam no mundo. Outros cerca de 400 vivem em zoológicos ao redor do mundo.

DW
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem