Astrologia

Como fazer uma limpeza energética para 2020

Terapia de limpeza energética pode ser a chave para obter mais prosperidade

Harmonize sua casa para 2020 com Feng Shui
Harmonize sua casa para 2020 com Feng Shui - Pixabay
Descrição de chapéu Personare
Regina Restelli
São Paulo

Você já definiu suas resoluções para 2020? Quando estiver listando seus objetivos, faça um exercício para investigar se você já está preparado para que as mudanças que tanto deseja aconteçam na sua vida.

Muitas vezes, definimos metas mas não temos a consciência de que nossos pensamentos e ações não condizem com o que planejamos. Você pode desejar mais amor. Mas, se continuar alimentando o conflito, estará distante de conquistá-lo.

Começar novos projetos exige clareza do que vamos construir e também do que é necessário deixar para trás. Abrir mão de hábitos, relações, comportamentos e padrões de pensamentos negativos é essencial para promover mudanças efetivas.

Para transformar a sua vida, é preciso limpar intenções, emoções e crenças que, sem que você note, bloqueiam e impedem que você alcance o que almeja.

FAÇA UMA FAXINA INTERNA

Uma forma de se livrar de comportamentos limitantes é aliar o autoconhecimento a um reforço energético profundo. Se você não consegue perceber quais pensamentos estão impactando suas realizações, tente identificar situações ruins que se repetem na sua vida. Este exercício é uma excelente oportunidade para perceber crenças importantes que você está carregando há muito tempo: “não sou bom o suficiente”, “não posso confiar em ninguém”, “não sou desejável”..

Na Radiestesia consideramos o corpo físico, o corpo astral ou etérico, o corpo mental, o corpo causal ou emocional, e o corpo espiritual. Nós somos energia e, na maior parte das vezes, sentimos só o corpo físico, mas existem ao menos mais quatro corpos situados no campo sutil, que devemos levar em conta. Nesses corpos ficam registradas partes de todas as nossas experiências no dia a dia.

Essas experiências também têm registros energéticos nos Chakras, centros de energia localizados ao longo da coluna vertebral. Cada um deles está associado a uma glândula do corpo físico e rege uma parte específica do funcionamento do nosso corpo psicológico.

Os sete Chakras principais podem nos dar dicas de como o nosso inconsciente está atuando. Um exemplo clássico de quando sentimos o Chakra se manifestando é ao perder uma pessoa muito amada e sentimos que nosso peito está dilacerado, como se não tivéssemos mais força para respirar.

Ou quando estamos vivendo uma alegria tão grande que nosso peito parece que vai explodir. Nesse dois casos o vórtice do Chakra cardíaco que fica na direção da glândula Timo, no centro de nosso peito, está se fazendo sentir no corpo físico, por conta da transformação energética que está sendo vivenciada. Assim acontece todo o tempo e tudo fica guardado e registrado em nossa energia.

RADIESTESIA E RADIÔNICA PROMOVEM HARMONIZAÇÃO ENERGÉTICA

As terapias holísticas podem acessar o corpo sutil e limpar os excessos ou o que não serve mais. Se libertando do poder inconsciente dos registros passados, fica mais simples realizar novos projetos.

Com a Radiestesia é possível medir com o pêndulo os corpos, os Chakras, os desequilíbrios, os sentimentos, as invejas e as contaminações mais densas que podem estar presas no campo de energia. Estes aspectos negativos, que dificultam nosso caminhar, devem e podem ser limpos.

Com a terapia Radiônica, que é um desmembramento da Radiestesia, a energia é transformada com o uso do próprio pêndulo e com gráficos: o que não serve mais é eliminado. Com a energia limpa e potencializada, temos força física, mental e emocional para expandir nossa consciência rumo ao autoconhecimento.

Se você está querendo transformar situações em sua vida neste novo ano, comece a observar seus pensamentos. Desapegue de tudo que não quer mais, em todos os níveis, e só depois estabeleça metas. Prepare-se para começar um novo ciclo mais positivo, produtivo, consciente, próspero e feliz.

personare
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem