Você viu?

Para montar confeitaria, fã de Xuxa coloca coleção à venda; boneca há 30 anos na caixa vale R$5 mil, filme polêmico, 500

Fã de carteirinha de Xuxa Meneghel, Douglas Tavares, 30 anos, de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul,  realizou o sonho de ter uma grande coleção de itens relacionados à apresentadora. Agora, ele vai em busca de seu novo sonho: abrir uma confeitaria. 

Para isso, vai se desfazer de preciosidades. "O desapego dói muito, já chorei por algumas coisas, mas estou bem, a única coisa que não venderia é um quadro da Xuxa que herdei de uma falecida tia minha", conta, em entrevista ao F5. Ele também comemora poder abrir seu próprio negócio "com a ajuda dela indiretamente". O "Bazar X", como ele mesmo batizou, acontece em grupos de fãs de Xuxa no Facebook.

Douglas não sabe avaliar o valor total da coleção, mas revela já ter arrecadado cerca de 10 mil reais. Os itens mais raros já foram. O mais valioso deles, uma boneca lançada em 1987 e ainda lacrada na caixa, foi vendida por 5 mil reais. Outra semelhante, mas fora da caixa, foi vendida por 2 mil. 

A valiosa boneca é a aquela que originou a lenda urbana de que crianças estavam sendo atacadas pelo brinquedo. Mesmo com o boato macabro, Douglas nunca teve medo de ter quase 20 delas (de diferentes modelos) em casa. 

"Sou ateu, não acredito em Deus nem no diabo, só na lei do retorno. Xuxa é uma mulher especial, tem luz própria, nunca coloquei em questionamento esse negócio de pacto", diz, sobre o boato de que Xuxa teria um pacto satânico em troca de sucesso.  "Se ela fez [o pacto] nunca me atingiu. A Xuxa só me fez bem, só passou mensagem de otimismo, paz, garra."


Além de bonecas, Douglas fez um bom dinheiro com itens polêmicos: A revista "Playboy" com Xuxa na capa, de dezembro de 1982, e o filme "Amor Estranho Amor", do mesmo ano (DVD importado, já que Xuxa vetou o longa no Brasil), foram vendidos por R$500 cada. 

Os ítens foram garimpados por Douglas ao longo da última década em sites de produtos usados, brechós e sebos. "Quando eu era criança nunca ganhava nada relacionado a ela. Primeiro porque meus pais eram pobres, e depois por preconceito.'Menino não pode brincar de bonecas'", lembra. "Então quando pude ter grana, comprei o que sonhei."

Douglas jura que não pensa em pedir ajuda para Xuxa em sua empreitada. "Só quero que ela sinta orgulho de mim por ter conseguido realizar meu sonho. E quando eu inaugurar, quero que a Xuxa saiba, e mande energia positiva e as bênçãos dela."






Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem