Publicidade

Para Paolla Oliveira, Danny Bond fez público ter novo olhar sobre o trabalho dela

30/01/2015 - 12h19

Publicidade

VITOR MORENO
EDITOR-ASSISTENTE DO "F5"

Na boca do povo desde que surgiu em cenas sensuais da minissérie "Felizes para Sempre?" (Globo), Paolla Oliveira, 32, está ciente de que deu um passo importante na carreira ao interpretar a camaleônica Denise (mais conhecida pelo codinome Danny Bond, que ela usa para se prostituir).

"Essa personagem é muito complexa", comentou a atriz antes de se recolher por causa da enorme repercussão da personagem e evitar a imprensa. "Ela tem muitas facetas, muitos visuais, tudo nela é muito... ela é difícil de entender! Você não sabe que parte do que ela fala é verdade, que parte é mentira... É delicioso, que ator que não quer passar por isso?"

"Um personagem pode te dar a possibilidade de mostrar novas energias, de lançar novos olhares em relação ao seu trabalho", afirmou. "Acho que a Denise veio para isso."

Paolla contou que não teve nenhum cuidado especial para as cenas de nudez e sexo, que são abundantes na minissérie. Ela afirmou não ter usado dublês.

"O cuidado foi dos diretores queridos, que fizeram tudo com delicadeza", disse. Mas nem mesmo uma dieta especial? "Dieta eu estou fazendo há 12 anos", brincou. "Algumas dão mais certo, outras nem tanto, acho que agora encontrei o caminho."

"O sexo, a sexualidade, a sensualidade, os relacionamentos... tudo faz parte da nossa vida", filosofou. "Acho que as pessoas lidam com algumas coisas de forma natural e com outras nem tanto. Mas se elas estão colocadas de uma forma bacana, ajudando a contar a história, eu lido com naturalidade."

A atriz afirmou que não esteve com nenhuma garota de programa para compor a personagem. "Fiz várias pesquisas, vi filmes, vi vídeos, a internet é uma loucura", afirmou. "Eu ouvi muita história, mas não necessariamente falei com nenhuma delas [profissionais do sexo]."

A única mudança na rotina foram as aulas de cama elástica —a personagem usa essa atividade para relaxar em uma das cenas que ainda vão ao ar.

"Quando falam em prostituta, a gente imagina logo um estereótipo de mulher, mas a Denise é uma garota de programa, que a gente sabe tanto que existe, que vai para a faculdade e tem uma vida normal", comentou. "Por essa normalidade, quando ela se veste para atender a algum desejo, ela se transforma."

Adepta das mudanças de visual, Paolla disse ter gostado de usar cabelos e roupas diferentes para seduzir os "clientes" em cena.

"Foi uma oportunidade de ser várias, rapidamente", avaliou. "Foi tudo pensado para se afastar da normalidade da atriz e para que a Danny pudesse realmente se transformar quando colocasse as perucas e os figurinos, e também para que não ficasse muito 'fake'."

A atriz disse ainda que não realizou nenhuma fantasia pessoal por meio da personagem e que não se identificou com nenhum aspecto com ela.

"Denise é bem Denise e Paolla é Paolla", afirmou. "Eu me coloquei no papel da personagem no que diz respeito aos sentimentos dela. Será que ela está sendo real? Será que está sendo sincera? Isso me fez pensar, na hora de preparar cada cena, sobre as relações e por que elas foram construídas."

"A Danny entra na vida das pessoas por uma insatisfação. Grande parte das coisas da série acontecem por insatisfação", comentou. "Já eu sou adepta de uma boa conversa."

  • Últimas notícias 
  •  

Publicidade

Publicidade

gostou? leia também

  •  

Publicidade

Siga agora o F5 no Twitter

Livraria da Folha