Estilo

Com formato menor, Miss Brasil será realizado pela primeira vez fora de uma capital

Candidatas que participarão do Miss Brasil em Ilhabela, no litoral de São Paulo
Candidatas que participarão do Miss Brasil em Ilhabela, no litoral de São Paulo - Divulgação


O concurso Miss Brasil BE Emotion adotou um novo modelo este ano: ele será mais intimista, com um público menor do que nas edições passadas, e ocorrerá pela primeira vez fora de uma capital. O evento reunirá as 27 mulheres que foram consideradas as mais bonitas do país em 2017 para eleger a representante brasileira do Miss Universo.

O local escolhido para sediar o encontro no próximo sábado (19) foi Ilhabela, cidade de 32 mil habitantes no litoral norte de São Paulo. As edições anteriores aconteceram na capital paulista. A cerimônia será realizada no Teatro de Vermelhos, espaço em meio à mata atlântica, no sul da ilha. 

No ano passado, foram 2.400 no Citibak Hall, em São Paulo, e houve venda de ingressos.  Já neste ano, apenas 600 pessoas poderão acompanhar a cerimônia, todos convidados. 

Karina Ades, diretora do Miss Brasil, afirma que a experiência em Ilhabela tem sido positiva no período que antecede o evento. Ela considera que a edição na cidade marca a possibilidade de que outros municípios menores também recebam a competição.  


"Existe intenção de que o Miss Brasil seja um evento itinerante e passeie pelo país", afirma. Para isso ocorrer, porém, é necessário que as cidades aceitem pagar os gastos com o concurso.  

Ricardo Fazzini, secretário municipal de turismo de Ilhabela, diz que para patrocinar o evento a prefeitura gastou cerca de R$ 2 milhões. Ele considera o valor pequeno em comparação com os impactos que o Miss Brasil vai gerar na cidade.

Segundo ele, a prefeitura estava procurando um meio de promover o nome de Ilhabela na baixa temporada e pesquisou uma série de eventos e promoções possíveis, até ter a ideia do Miss Brasil.  "O foco em sediar a disputa não é o evento em si, mas os impactos dele para a divulgação da cidade. Já estamos percebendo o retorno que essa ação está dando e várias métricas mostram o aumento da busca pela cidade", afirmou.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ilhabela, Wilson Santos, diz que já é possível notar os impactos. "Só com as candidatas e as pessoas que estamos recebendo nesse período, movimentamos o comércio local. Elas estão usando a rede hoteleira, a gastronomia e muito de nossos serviços. E depois teremos resultados de médio e longo prazo, com a exposição de Ilhabela na mídia nacional e internacional", afirmou.

CONFINAMENTO

Todas as finalistas desta etapa passaram por seletivas nos 26 Estados do Brasil e no Distrito Federal. Apesar de estar oficialmente agendado para o dia 19 de agosto, as prévias do Miss Brasil já começaram a movimentar Ilhabela. 

As candidatas chegaram ao município no último dia 9 para um período de "confinamento" no qual realizarão uma série de atividades. "Queremos explorar todas as qualidades naturais da ilha com as meninas. A maior parte das ações das misses será na natureza. Elas farão aula funcional na praia, irão à cachoeira e até realizarão um ensaio fotográfico num barco, no mar", diz Ades, organizadora do concurso. 

A vencedora do concurso se credencia automaticamente para o Miss Universo e ganhará uma viagem para Dubai e um carro zero quilômetro. A atual campeã, Raissa Santana --segunda negra a ganhar o Miss Brasil-- já está em Ilhabela para fazer a passagem da faixa à nova eleita. No Miss Universo 2016, Raissa ficou entre as 13 finalistas. 

Entre as atrações para o dia do júri estão os shows das cantoras Maria de la Riva e Miranda Kassin. O evento terá transmissão da Bandeirantes. 


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem