Tony Goes

Huck vai bem na estreia de 'Quem Quer Ser Um Milionário?', mas sem a graça de Silvio Santos

Quem inventou "Quem Quer Ser um Milionário?"? A pergunta rachou as redes sociais brasileiras na tarde deste sábado (6), quando o "Caldeirão do Huck" (Globo) estreou um quadro com este nome.

Como as questões que os candidatos enfrentam no programa, esta aqui também é de múltipla escolha. E a resposta correta é complexa: o formato foi criado pela produtora britânica Celador, mas atualmente os direitos pertencem à Sony.

O quiz show "Who Wants to Be a Millionaire" estreou no Reino Unido em 1998, no canal ITV. Virou um fenômeno de audiência e logo ganhou versões em mais de uma centena de países. Entranhou-se de tal forma na cultura popular que gerou até um filme vencedor do Oscar, "Quem Quer Ser um Milionário?" (2008), de Danny Boyle.

O game chegou ao Brasil em 1999 — quer dizer, em termos. "Jogo do Milhão" (SBT), depois rebatizado de "Show do Milhão" e sempre apresentado por Silvio Santos, era visivelmente inspirado no original britânico. Mas a mecânica era um pouco diferente, e a emissora sempre defendeu que se tratava de uma ideia inteiramente desenvolvida dentro de seus muros.

O sucesso por aqui também foi considerável, e a expressão "pedir ajuda aos universitários" entrou para a linguagem popular. O programa ficou no ar até 2003; já o relançamento em 2009 durou apenas dois meses.

O que o grande público talvez não saiba é que rolou uma intensa batalha legal nos bastidores, finalmente vencida pela Sony. Isto não impediu o SBT de anunciar uma nova versão do" Show do Milhão" para este ano, desta vez voltada para crianças e apresentada por Patricia Abravanel.

Vem mais briga por aí? É bem provável. O mundo dos formatos para a TV é realmente complicado, porque as coincidências (ou não) são frequentes e as leis sobre propriedade intelectual variam muito de um país para o outro.

Luciano Huck no cenário do quadro 'Quem Quer Ser Um Milionário?'
Luciano Huck no cenário do quadro 'Quem Quer Ser Um Milionário?' - João Miguel Junior/Globo

Mas vamos ao que interessa: como se saiu Luciano Huck no comando de sua nova atração? Bem, se analisado isoladamente. Ele estava seguro e simpático, os concorrentes eram bacanas, o cenário ficou lindo.

Só que... Huck não é Silvio Santos. O dono do Baú fazia com que cada pergunta do "Show do Milhão" levasse quase meia hora para ser respondida. Criava suspense, contava piadas, deixava todo mundo nervoso. Era uma gandaia, já que as respostas em si costumavam ser fáceis.

Aliás, eis aí o segredo deste formato: as respostas, pelo menos nas primeiras etapas, têm que ser de conhecimento geral, para que também o telespectador se sinta capaz de ganhar um milhão. Mas é claro que é o apresentador quem tem que colocar o molho nessa receita. E, no Brasil, ninguém faz isto melhor do que Silvio Santos.

Por isto, o quadro "Quem Quer Ser um Milionário?" do "Caldeirão do Huck" pode ser o único realmente fiel ao programa original britânico. Mas, pelo menos por enquanto, não é tão divertido quanto o clone (ou não) já consagrado pelo SBT.

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem