Tony Goes

Artistas têm todo o direito de se meter em política, mesmo que seja para falar besteira

Um vídeo produzido pelo MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) vem causando furor na internet. Trata-se de uma simpática animação com locução de Wagner Moura, atacando a reforma da Previdência proposta pelo governo Temer.

O vídeo já acumula centenas de milhares de visualizações no YouTube e vem sendo compartilhado outras milhares de vezes nas redes sociais.

Também já gerou reações. O próprio governo produziu uma resposta, e muita gente - gabaritada ou não - vem postando na web declarações de apoio ou repúdio, gravadas ou por escrito.

Claro que as reações dos internautas também se dividiram. Muitos se rendem aos argumentos e à voz macia de Wagner Moura. Outros são veementemente contra, e entres estes se encontram aqueles que negam ao ator qualquer direito de se manifestar.

"Cala a boca", "vai pra Cuba", "para de mamar na Lei Rouanet" e por aí vai. Segundo essa turma, não é que os números citados por Moura estejam errados: ele próprio não teria a menor qualificação para se posicionar, pelo simples fato de ser artista.

Director Kleber Mendonca Filho and cast members hold placards on the red carpet as they arrive for the screening of  the film "Aquarius" in competition at the 69th Cannes Film Festival in Cannes
Elenco e equipe do filme 'Aquarius' fizeram protesto político durante o Festival de Cannes, na França, em 1016 - YVES HERMAN; REUTERS

O curioso é que esse tipo de reação não se restringe à direita. Quando algum famoso aplaude, por exemplo, o juiz Sergio Moro, imediatamente também é vilipendiado on-line: vendido ao sistema, canastrão, fracassado.

Não é só no Brasil que desdenhamos das opiniões políticas dos integrantes do showbiz. O presidente dos EUA, Donald Trump, está em plena guerra verbal contra dezenas de celebridades, desdenhando das motivações delas e esquecendo-se que ele também veio do mundo do entretenimento.

Meryl Streep breaks own record with 20th Oscar nomination
A atriz Meryl Streep fez discurso contra o atual governo norte-americano na cerimônia do Globo de Ouro e desagradou o presidente dos EUA Donald Trump - PAUL J. RICHARDS ROBYN BECK; AFP

O fato é que desmerecemos quem não concorda conosco, seja lá o que essa pessoa faça da vida. Se for um ator ou um cantor, fica mais fácil ainda, porque impera a noção de que essas figuras têm vida fácil.

Nada mais falso, mas digamos que fosse verdade. Ainda que fossem nababos que acordassem tarde e nadassem em dinheiro, os artistas também podem dizer o que quiserem sobre política, pelo simples fato de serem cidadãos.

No caso deles, há uma vantagem: por causa da visibilidade, costumam provocar debates. É exatamente o que está acontecendo agora ao redor da reforma da Previdência, e todo mundo só tem a ganhar com essa discussão.

Famosos fizeram selfie para registrar presença em manifestação de março de 2016 pedindo o impeachment da então presidente Dilma Rousseff
Famosos fizeram selfie para registrar presença em manifestação de março de 2016 pedindo o impeachment da então presidente Dilma Rousseff - Reprodução

Além do mais, se os artistas não podem se meter em política, quem poderia? Os únicos que são do ramo são os próprios políticos. Já pensou, se só eles pudessem falar? É isto o que nós gostaríamos que acontecesse?

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem