Tony Goes

Qual a melhor série de TV para se mergulhar neste Carnaval?

Não faltam opções de lazer para os próximos quatro dias. Brasil afora, blocos, escolas de samba, maracatus e trios elétricos já estão nas ruas. Enquanto isto, nos cinemas, a safra de filmes indicados ao Oscar é a melhor e mais variada em muito tempo.

Mas até quem não quer sair de casa pode se divertir, e muito. Nunca houve tantas séries ao alcance do espectador brasileiro, de tantas proveniências diferentes. Muitas delas já têm temporadas completas nas plataformas de streaming, possibilitando que o folião relutante pratique o chamado binge watching: assistir diversos episódios de uma só sentada, às vezes madrugada adentro.

Na Netflix, a maior plataforma do gênero, as novidades são tantas que é impossível não perder alguma coisa. O seriado mais badalado do momento é "Designated Survivor", no qual Kiefer Sutherland faz um apagado secretário (ministro) da Habitação obrigado a assumir a Presidência da República, depois que um atentado a bomba elimina quase toda a cúpula do governo americano.

O timing da série é perfeito: "Designated Survivor" chega num momento em que o mundo inteiro passa por turbulências políticas, e ocupa o vácuo deixado por "House of Cards" (que teve a estreia de sua quinta temporada adiada para maio). Consta que até o presidente Michel Temer se tornou fã do programa, incentivado por sua mulher Marcela.

Quem não curtir intrigas de bastidores talvez se divirta mais com a sanguinolência de "Santa Clarita Diet", a comédia de humor negro estrelada por Drew Barrymore. Ou com o excelente drama catalão "Merlí", sobre um professor de filosofia e seus alunos. Aliás, vale a pena sair um pouco do domínio americano e explorar as séries de outras nacionalidades disponíveis na Netflix, como a mexicana "Club de Cuervos".

O cardápio da Amazon Prime Video, recém-chegada ao Brasil, também é interessante, embora bem mais reduzido. O destaque vai para "The  Man in the  High  Castle", uma fantasia distópica baseada num livro de Philip K. Dick (o autor do livro que inspirou "Blade Runner"): como seria o mundo se a Alemanha e o Japão tivessem vencido a Segunda Guerra Mundial? Ambientada na década de 1960 e já com duas temporadas dando sopa, essa superprodução é de arrepiar os cabelos.


Outro carro-chefe da Amazon é "Transparent", sobre um senhor sexagenário e pai de família que um belo dia resolveu mudar —e se tornar mulher. Já com três temporadas online, essa comédia premiadíssima trata a identidade de gênero, uma das maiores questões da atualidade, de maneira ousada e terna ao mesmo tempo. Imperdível.

Nessa briga de cachorro grande, a HBO acaba ficando para trás. Seus assinantes podem devorar as temporadas antigas de joias da coroa como "Game of Thrones" ou "Veep". Mas novidades como "Little Big Lies" —estrelada por Nicole Kidman e Reese Witherspoon— não se prestam ao mergulho carnavalesco, pois só um episódio inédito é disponibilizado a cada semana. Está na hora do canal rever seu modelo de exibição.

Também tem muita coisa boa na Fox Play, como a brasileira "Me Chama de Bruna", ou na Globo Play, onde é possível encontrar títulos recém-exibidos pela Globo, como "Dois Irmãos", "Justiça" ou "SuperMax".

Com tanta variedade, recomendo a quem ficar em casa o mesmo espírito de aventura de quem está brincando nas ruas: se arrisque, se jogue, beije na boca de uma série que você nunca viu. E tenha um carnaval inesquecível, ainda que entre quatro paredes.

Tony Goes

tem 54 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem