Celebridades

Braço direito de Zuckerberg fala do luto: 'Aprendi quanta força eu posso ter quando não tenho escolha'

Sheryl Sandberg, Diretora de Operações do Facebook
Sheryl Sandberg, Diretora de Operações do Facebook - Matt Gentry /The Roanoke Times via AP


Em 2015, Sheryl Sandberg, 47, Diretora de Operações do Facebook e braço direito de Mark Zuckerberg, 33, perdeu o marido, o executivo do Vale do Silício Dave Goldberg. O baque a fez repensar a vida, ver o mundo de outra forma --e também a escrever um livro, o "Plano B" (editora Fontanar, 216 páginas, R$ 39,90). 

"Aprendi quanta força eu posso ter quando não tenho outra escolha", diz a empresária e ativista feminista, que foi eleita pela "Fortune Magazine" como a sexta mulher mais poderosa do planeta em 2016. A declaração foi dada à revista "Claudia", do Grupo Abril, que começa a ser distribuída nesta segunda (3). 

Na obra que assina com Grant, Sandberg divide com os leitores todas as suas angústias do período de luto. A executiva também usa, no livro, as experiências com o sofrimento para inspirar leitores a superarem momentos difíceis. 

"Aprendi a ser mais grata. Uma das lições surpreendentes aprendidas com Adam Grant foi que sempre pode ser pior. Um dia ele me disse isso e pensei: 'Meu marido acaba de morrer e você está brincando?'. Ele me fez enxergar. Bem, ele podia ter tido o ataque cardíaco enquanto dirigia com seus filhos", diz à publicação brasileira. 

CARREIRA E APOIO DE ZUCKERBERG 

A retomada de Sandberg também teve o apoio de Zuckerberg, o criador da rede social. "Mark me disse: 'fique em casa o tempo que precisar'".

"Todos têm o próprio tempo de luto. Além disso, as pessoas vivem diferentes situações financeiras que as fazem voltar ao trabalho em momentos diversos. E aí está a importância de existirem melhores políticas internas de licença do trabalho nas empresas. Muita gente, aqui nos Estados Unidos, não tem direito a nenhum dia", diz à "Claudia". 

Para o futuro, "bem mais simples" graças à sua nova visão de mundo, Sandberg diz que quer cuidar dos filhos. "E tentar encontrar alegria em todos os outros momentos", diz.


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem