Publicidade

"No futuro, todos seremos bissexuais", diz José de Abreu

10/01/2013 - 20h15

Publicidade

ALBERTO PEREIRA JR.
DE SÃO PAULO

"Dei uma de Orson Welles [1915-1985]", afirma à Folha José de Abreu.

O ator de 66 anos refere-se à repercussão de sua declaração no Twitter, nesta quarta-feira (9), de que é bissexual.

Como o roteirista americano, que em 1938 anunciou numa rádio uma falsa invasão de extraterrestres e causou pânico nos ouvintes, a afirmação de Abreu reverberou nas redes sociais e na imprensa.

"Levei um grande susto. Sou artista, não falei nada de mais. Bissexualidade é uma coisa normal. Acredito que, no futuro, todos seremos bissexuais", declara ele, que falou com a reportagem por telefone, enquanto voltava do interior do Estado do Rio de Janeiro para a capital fluminense. " A surpresa é ganhar essa repercussão", enfatiza.

A revelação de José de Abreu foi feita no microblog em meio a comentários políticos trocados entre o ator e seus seguidores, cerca de 71 mil.

Ele reclamava de um perfil falso do Twitter de um suposto funcionário público que ameaçou processar outro perfil falso, o do ator Paulo César Pereio. No meio da conversa, um seguidor disse saber de uma história de um homem que quis beijar José de Abreu na boca.

"Conheço um gay bêbado chamado Chico que tentou me beijar na boca na marra", escreveu o ator.

Acusado de homofóbico, Abreu respondeu: "Eu sou bi-sexual e daí? Posso escolher quem eu beijo?".

"Essas coisas do Twitter são interativas", diz o ator à Folha. Ele ainda afirma que nem ele nem sua família têm problema com sua sexualidade. "Não sai do armário. Nunca estive."

"Estou casado há oito anos, fui casado grande parte da minha vida. Sou ator, é uma caretice. Trabalho na Globo, de camareiro a diretor, não tem nem como fazer a porcentagem de gays. Não é tabu nenhum", afirma ele, que nunca havia sido questionado sobre sua orientação sexual.

"Mas é triste saber que minha bissexualidade desperta mais atenção do público do que assuntos políticos", conta.

Premiado pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) como melhor ator pelo seu trabalho na novela "Avenida Brasil" (2012), da Globo, em que interpretou o vilão Nilo, José de Abreu está atualmente em cartaz no Teatro Vannucci, no Rio, com a peça "Bonifácio Bilhões".

No espetáculo, interpreta um militante de esquerda que promete dar metade de um prêmio na loteria a um rapaz pobre. "A montagem discute ética. Meu personagem ganha o prêmio e não quer cumprir a promessa", diz.

  • Últimas notícias 
  •  

Publicidade

Publicidade

gostou? leia também

  •  

Publicidade

Siga agora o F5 no Twitter

Livraria da Folha