Bichos

Com presença de Christina Aguilera, casamento milionário é transferido para proteger tartarugas

Um rico casal russo, que queria celebrar seu casamento no Chipre com a apresentação da cantora pop Christina Aguilera, teve que cancelar a festa em uma praia onde as tartarugas marinhas desovam, após protestos de ambientalistas.

A ilha cipriota é uma importante zona de reprodução de duas espécies de tartarugas marinhas presentes no Mediterrâneo e são objeto de medidas de proteção: a tartaruga-verde e a tartaruga-cabeçuda. 

A publicação nas redes sociais de várias fotos em que apareciam maquinário pesado junto a filhotes de tartarugas em uma praia de Latchi, no nordeste do Chipre, despertou a ira dos defensores do meio ambiente.

Quando não estão se alimentando, as tartarugas-verdes passam a maior parte do tempo descansando ou dormindo no fundo
Quando não estão se alimentando, as tartarugas-verdes passam a maior parte do tempo descansando ou dormindo no fundo - Divulgação

Diante da polêmica provocada pelas imagens, as autoridades que tinham dado a permissão para a instalação de um palco na praia, em frente ao hotel de luxo que organizava a festa, voltaram atrás. A praia é um local protegido no âmbito do programa europeu Natura 2000. 


"Foi concedida uma permissão com a ideia de que não se modificaria nada na praia", declarou nesta quinta-feira (7) à rádio pública a prefeita da região de Pafos, Mary Lambrou. "Quando vimos o que fizeram, interviemos para que desmontassem a estrutura externa e que a festa se celebrasse no interior."

A estrela pop americana Christina Aguilera, que cantaria para o casal na praia, acabou se apresentando dentro do hotel.  "A preservação das tartarugas em risco prevaleceu e o casamento será celebrado no interior do hotel", tuitou a cantora nesta quarta (6), após receber várias mensagens de internautas indignados, entre eles um que lamentava que "o meio ambiente fosse posto em risco pelo casamento de um homem muito rico". 

"Graças à nossa ação, evitamos um desastre ambiental, que teria salpicado Chipre no mundo inteiro", declarou o deputado ecologista George Perdikis à rádio pública.  A celebração do casamento previsto para durar três dias custou cerca de oito milhões de euros, segundo estimativas da imprensa cipriota.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem