Você viu?

Marido de 39 mulheres, chefe da 'maior família do mundo' morre na Índia

Ziona Chana era chefe de seita cristã local que permite a poligamia

Ziona Chana - Adnan Abidi/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Alasdair Pal Adnan Abidi
Nova Déli

Um homem que tinha 39 esposas e 94 filhos morreu no domingo (13), aos 76 anos, no nordeste da Índia. A morte dele foi informada pelo ministro-chefe do estado de Mizoram, Zoramthanga (ele atende por um único nome), por meio das redes sociais.

Ziona Chana dizia ser o chefe da maior família do mundo. Ele se casou pela primeira vez com 17 anos e afirmava ter se casado com dez mulheres em um único ano.

O patriarca morava com os familiares em uma estrutura rosa ampla de quatro andares de cerca de 100 cômodos em Baktawng. O vilarejo remoto de Mizoram se tornou uma atração turística por causa dele, de acordo com o ministro.

Todas as esposas compartilhavam um dormitório perto do quarto de dormir dele. Segundo vizinhos, ele gostava de ter sete ou oito mulheres ao seu lado o tempo todo.

Ziona era chefe de uma seita cristã local que permite a poligamia. A seita, que se chamava Chana, foi fundada pelo pai dele em 1942 e tem centenas de famílias filiadas.

Apesar do tamanho imenso da família, Ziona disse à Reuters em uma entrevista realizada em 2011 que queria que ela crescesse ainda mais. "Estou pronto para ampliar minha família e disposto a fazer qualquer coisa para casar", afirmou na ocasião.

Apesar de a mídia local dizer que a família dele é a maior do mundo —são 167 membros contando com os 33 netos—, esse recorde na verdade pertenceria a Winston Blackmore, chefe de uma seita mórmon polígama do Canadá, que tem cerca de 150 filhos de 27 esposas.

Reuters
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem